quarta-feira, 28 de maio de 2008

Sarcasmo...

Olha a Wikipédia aí de novo...

''Sarcasmo (do grego antigo σαρκασμός "sarkasmos" ou "Sarkázein"; Sarx=“carne” Asmo= queimar “queimar a carne”) designa um escárnio ou uma zombaria, intimamente ligado à ironia com um intuito mordaz quase cruel, muitas vezes ferindo a sensibilidade da pessoa que o recebe. A origem da palavra está ligada ao facto de muitas vezes morder-mos os lábios quando alguém se dirige a nós com um sarcasmo mordaz. O sarcasmo é uma figura de estilo muito utilizada nas artes orais e escritas, designadamente na literatura e na oratória. Fyodor Dostoyevsky foi um dos grandes representantes do uso deste recurso estilístico, definindo-o como "o último modesto e puro refúgio das pessoas quando o intrusamento e a vulgaridade invadem a privacidade das suas almas".''



Ai ai...´
Ultimamente estou me controlando muito. É quase um exercicio de 'humildade' engolir os sapos que alguns teimam em colocar no meu prato para me alimentar.
Engolir sapos não é nada, pior é ter que engoli-los a seco.
Essa semana recebi um e-mail 'cordial' de trabalho que nem pude mostrar toda a minha habilidade sarcastica e irônica. A turma do 'deixa disso' colocou panos quentes e eu me resguardei!!!
"que seja profissional como tem que ser, com reuniões e numa ligação cordial..."
Ai meu Santo, logo comigo...
Nem uma alfinetada.
Nem um "não se preocupe: reuniões profissionais com cordialidade são meu forte!"
Bem, não respondo lá, pra mostrar que estou evoluindo como ser humano, mas desabafo aqui.
Não posso usar aqui a frase que usei para descrever tal e-mail com amigos íntimos... Só posso dizer que o pedestal está, digamos assim, se soltando por muito peso.
Peso na Consciência???
Talvez... melhor aguardar, com os alfinetes guardados...

domingo, 25 de maio de 2008

"Minha alma canta..."



 Milton Nascimento - Samba do Avião


Samba do Avião

Composição: Antônio Carlos Jobim


Eparrê
Aroeira beira de mar
Canôa Salve Deus e Tiago e Humaitá
Eta, costão de pedra dos home brabo do mar
Eh, Xangô, vê se me ajuda a chegar

Minha alma canta
Vejo o Rio de Janeiro
Estou morrendo de saudades
Rio, seu mar
Praia sem fim
Rio, você foi feito prá mim
Cristo Redentor
Braços abertos sobre a Guanabara
Este samba é só porque
Rio, eu gosto de você
A morena vai sambar
Seu corpo todo balançar
Rio de sol, de céu, de mar
Dentro de um minuto estaremos no Galeão
Copacabana, Copacabana

Cristo Redentor
Braços abertos sobre a Guanabara
Este samba é só porque
Rio, eu gosto de você
A morena vai sambar
Seu corpo todo balançar
Aperte o cinto, vamos chegar
Água brilhando, olha a pista chegando
E vamos nós
Pousar...

quinta-feira, 22 de maio de 2008

Casa da Ipiranga

Mansão Tavares Guerra - Casa Petrópolis

A linda casa da Avenida Ipiranga 716, têm uma história bem real.
É um imóvel representativo da arquitetura eclética do final do século XIX e que continua intacto.


Construída em 1884 por José Tavares Guerra, afilhado do Barão de Mauá. Seus jardins foram projetados pelo botânico francês Auguste Glaziou.
Na antiga estrebaria localiza-se o primeiro relógio de torre da cidade.

José Tavares Guerra educou-se na Inglaterra, tendo vivido na Europa desde os 07 até aos 28 anos de idade, indo inicialmente para a Alemanha, pois naquela época a Inglaterra não aceitava matricular pessoas vindas do Brasil por causa das chamadas doenças tropicais. Aos 15 anos, finalmente pode ir para a Inglaterra, a fazer os estudos superiores, graças a intervenção do Barão de Mauá, seu padrinho de batismo. De volta ao Brasil, cheio de boas lembranças da velha Europa, resolveu construir uma "Nova Inglaterra" para seu uso particular.

Para construir a mansão tipo "Queen Victoria", importou grande parte do material (inclusive trabalhos em madeira de lei brasileira, lá entalhada), além de maçanetas e dobradiças de bronze, os brocados que revestem paredes dos salões, as lareiras de mármore de Carrara, os monumentais lustres e os apliques da famosa Fundição Barbedienne encimados por cristais Baccarat, assim como os espelhos, igualmente franceses, que cobrem parte das paredes do salão.

Os tetos pintados sobre tela ou diretamente na madeira (há outros exemplares na cidade), são obra do pintor alemão Schaeffer, que acabou aqui se radicando. No "fumoir" da sala de jantar, as pinturas são atribuídas ao pintor italiano Dall' Ara, que também pintou os afrescos da " Villa Itararé", outra linda mansão nesta cidade. Um dos salões é todo forrado em seda e outro em papel trabalhado a ouro com relevos.

Durante a construção da casa, atuou o engenheiro formado da Alemanha, Karl Spangenberger (1821 a 1890) que famoso por suas habilidades em madeira e na confecção de bengalas das quais muito se orgulham os colecionadores.

A mansão possui ainda estábulos com baias de ferro fundido, numa construção dominadas por um grande relógio de torre, o mais antigo da cidade.

Era visitada pelo Imperador Pedro II que percorria o jardim em seus passeios matinais e pelo Visconde de Mauá.

Além do prédio propriamente dito, há peculiaridade de o jardim ser de autoria do paisagista francês Glaziou, que veio para o Brasil onde reformulou os jardins da Praça da Aclamação. hoje Praça da República, da Quinta da Boa Vista, residência de D. Pedro II e os do Barão de Nova Friburgo.

Hoje a Mansão Tavares Guerra pertence aos familiares descendentes e também a família Rocha Miranda.

Algumas pessoas acham que o nome desta mansão é, Casa dos 7 Erros, na realidade não são erros e sim um estilo diferenciado de arquitetura, vulgarmente chamada pelo povo desta forma. A família atesta que de erro não tem nada e o setor de Turismo também procura não usar esta denominação e sim Mansão Tavares Guerra - Casa da Ipiranga.


Endereço: Av. Ipiranga, 716 - Centro
Telefone: 24 2231-6197
Visitação: quinta a terça, das 13h30 às 18h30.


Fonte: site da Prefeitura Municipal de Petrópolis


**O modelo da foto acima é João Victor, meu filhão!!!!

sábado, 17 de maio de 2008

Trilha Sonora - A Máquina

Não dá pra assistir esse filme sem preceber sua trilha sonora.
"São 15 faixas que misturam sonho e realidade, sanidade e loucura, presente, passado e futuro - uma viagem ao lirismo."



1. Tristeza de Antônio (JÚNIOR AREIA, FÁBIO TRUMMER E JOÃO CARLOS)
2. Canção de Começar (JOÃO FALCÃO) - Mariana Ximenes
3. A Dança da Moda - (DJ DOLORES E FERNANDO CATATAU) Orquestra Santa Már,Dj Dolores
4. Dia Branco (GERALDO AZEVEDO E RENATO ROCHA) - The Sconhecidos
5. A Natureza das Coisas (DE ACCIOLY NETO) - Prazeres Barbosa/ JPG
6. O Mar de Copacabana (GILBETO GIL) - Maciel Salu
7. Acalanto(CHICO BUARQUE) - Cristiane Ferreira
8. A Máquina (JOÃO FALCÃO E ROBERTINHO DE RECIFE) - The Sconhecidos
9. Porque Era Ela, Porque Era Eu ( CHICO BUARQUE) - Chico Buarque
10. O Amor é Velho e Menina - (TOM ZÉ) Zéu Britto
11. Sanidade - (DJ DOLORES, ISSAR, MAESTRO FORRÓ E GABRIEL MEL0) - Isaar
12. Two Kites - (TOM JOBIM) - Tom Jobim
13. Você Não Soube Me Amar (EVANDRO MESQUITA, GUTO, ZECA MENDIGO E RICARDO BARRETO) - Blitz
14. Porque Era Ela, Porque Era Eu (CHICO BUARQUE)
15. Canção de Começar - (JOÃO FALCÃO) Mariana Ximenes

Filme A Máquina


A jovem Karina (Mariana Ximenes) resolve ir embora de Nordestina, uma cidadezinha perdida do sertão, para conhecer o mundo e tentar realizar o sonho de se tornar uma atriz. Antônio (Gustavo Falcão), que a ama, decide dar-lhe o mundo. Para isso, ele sai da cidade e anuncia, em um programa de televisão, que irá fazer uma viagem ao futuro, partindo da praça de Nordestina. Se Antônio fracassar, ele garante que uma máquina da morte o irá destruir, ao vivo, na frente de todos.
Diretor: João Falcão
Elenco: Gustavo Falcão, Mariana Ximenes, Paulo Autran, Lázaro Ramos, Wagner Moura, Edmilson Barros, Aramis Trindade.
Produção: Diler Trindade
Roteiro: João Falcão, baseado em livro de Adriana Falcão
Fotografia: Walter Carvalho
Trilha Sonora : DJ Dolores, Robertinho de Recife, Chico Buarque



''É incrível como um país como o Brasil, dono de uma riquíssima tradição na arte de se contar histórias e "causos", explore tão pouco esta habilidade na área cinematográfica. Tentando suprir pelo menos um pouco esta falha, temos o ótimo A Máquina, uma fábula romântica rica em forma, conteúdo e recheada da deliciosa poética nordestina.''
Essas são palavras do crítico de cinema Celson Sabadin e eu concordo com todas as letras...
O filme é delicioso, de uma riqueza incrivel. Tudo é sonho, fantasia, poesia e, claro, realismo. "Antonio é um garoto que passa os primeiros anos de sua vida chorando sem parar. Após uma benzedeira de sua mãe, o menino finalmente pára de chorar e suas lágrimas são magicamente transformadas em chuva, para a felicidade do lugarejo, sempre castigado pela seca."
Passar a noite de sexta feira, que já parecia perdida, assistindo um filme desses, acreditem, num canal de TV por assinatura, foi no mínimo revigorante.
Indico e 'pressiono' para os amigos, conhecidos e também aos inimigos...

terça-feira, 13 de maio de 2008

Romantismo (???)



Depois que criei esse blog tomei por costume passear por blogs alheios e tenho visto muita coisa boa para divertir, discutir ou refletir...
Um amigo acabou de postar um texto sobre o romantismo e me peguei pensando se sou romantica, se quero romantismo em minha vida, se ainda é possivel ter romantismo nesse mundo louco.
Bem, segundo Vander Lee "Romanticos são poucos, romanticos são loucos, desvairados..."
São?
Loucos ou sonhadores???
Há quem diga que sou muito cética ou muito dura comigo mesma, mas depois de tantas decepções não acho errado querer me preservar um pouco. Muita gente deve viver assim...
Tá, posso confessar... não seria nada mal receber flores, ter músicas dedicadas, datas lembradas, telefonemas no meio da noite, torpedos carinhosos, mãos dadas em praça pública...
Ainda resta uma esperança...

domingo, 11 de maio de 2008

A Criança e Deus (em homenagem ao Dia das Mães)


Uma criança pronta para nascer perguntou a Deus:
“Dizem-me que estarei sendo enviada à Terra amanhã... Como eu vou viver lá, sendo assim pequena e indecisa?”

E Deus disse: “Entre muitos anjos, Eu escolhi um especial para você. Estará lhe esperando e tomará conta de você.”

Criança: “Mas diga-me, aqui no céu eu não faço nada a não ser cantar e sorrir, o que é suficiente para que eu seja feliz. Serei feliz lá?”

Deus: “Seu anjo cantará para você... A cada dia, a cada instante, você sentirá o amor do seu anjo e será feliz.”

Criança: “Como poderei entender quando falarem comigo, se eu não conheço a língua que as pessoas falam?”

Deus: “Com muita paciência e carinho, seu anjo lhe ensinará a falar.”

Criança: “E o que farei quando quiser te falar?”

Deus: “Seu anjo juntará sua mãos e lhe ensinará a rezar.”

Criança: “Eu ouvi que na Terra há homens maus. Quem me protegerá?”

Deus: “Seu anjo lhe defenderá sempre, mesmo que signifique arriscar sua própria vida.”

Criança: “Mas eu serei sempre triste porque eu não te verei mais.”

Deus: “Seu anjo sempre lhe falará sobre Mim, ensinar-lhe-à a maneira de vir a Mim, e Eu estarei dentro de você.”

Nesse momento havia muita paz no céu, mas vozes da Terra já podiam ser ouvidas.

A criança, apressada, pediu suavemente:
“Oh, Deus, se eu estiver a ponto de ir agora, diga-me, por favor, o nome do meu anjo.”

E Deus respondeu:
“Você chamará seu anjo de... MÃE!”



(desconheço o autor)

segunda-feira, 5 de maio de 2008

Fim de Semana


JUMPER

2008
Direção: Doug Liman
Elenco: Hayden Christensen, Samuel L. Jackson, Diane Lane, Jamie Bell, Rachel Bilson, Tom Hulce, Michael Rooker


David Rice (Hayden Christensen) é um Jumper, alguém capaz de se teletransportar, podendo ir a qualquer lugar, a qualquer momento. Sua vida sofre uma reviravolta quando ele percebe que está sendo perseguido por uma organização secreta com a missão de matar os Jumpers. Ele se alia a outro garoto com o mesmo poder, e embarca em uma guerra que já vem sendo travada há milhares de anos. Caçado pelo mundo todo, aos poucos ele descobre uma verdade surpreendente sobre seu próprio passado e o de sua família.



**Mais um 'filminho' de ação.

É assim que a critica o vê. E nem posso discordar, durmi em 70% do filme.

Mas se alguém quiser arriscar.... Fica aí a dica!!!