sábado, 27 de junho de 2009

Sushi de Feijoada???


Há pouco tempo escutei uma amiga comentando com outra: “Minha geladeira tá igual ao ‘Larica’. - Menina, você viu o sushi de feijoada que ele fez?” Pronto, fiquei com essa excentricidade batendo na cabeça. Como assim sushi de feijoada??? Joguei no Santo Google junto com a palavra larica e não é que apareceu um programa de TV.

Larica Total é um programa de culinária para guerrilheiros. São receitas da verdade baseadas na geladeira do trabalhador guerreiro. Na geladeira da realidade. É a cozinha sem medo.

Assim nos é apresentado em seu site. Mas é uma grande brincadeira ou até mesmo sátira em cima dos conceituados programas de culinárias que invadem nossas casas por todos os lados.

Tem o arroz com feijão e tem as coisas que você jamais poderia imaginar como o tal sushi de feijoada, moqueca de ovo, yakisobra. Tem dicas para um bom churrasco e também para você perder de vez o medo da panela de pressão. Tem um docinho básico para te ajudar quando chega em casa bêbado na madruga e tem a pipoquinha para acompanhar o DVD do fim de semana...

O apresentador é Paulo de Oliveira, um solteirão carioca que já gastou toda a herança do pai militar e hoje vive de aluguel de bugres e outras coisinhas. Está apostando todas as suas fichas nesse projeto do programa que é gravado ali mesmo na cozinha de sua casa em Santa Teresa e tem ambições dele se tornar internacional, para isso já gravou até um episódio em alemão.

‘Para Paulo é assim: ou vai, ou vai. Porque rachar já rachou faz tempo!’

O Larica Total passa no Canal Brasil toda sexta feira às 00:30h com direção de Caito Mainier, Felipe Abrahão e Leandro Ramos e apresentação de Paulo Tiefenthaler. Se você não tem Canal Brasil o site disponibilizou a primeira temporada completa no Youtube.

Vale a pena também dar uma conferida no site. É cheio de receitas inovadoras para suas emergências domiciliares e você pode contribuir mandando idéias. Tem um pequeno glossário com as pérolas do Paulo e até uma lojinha.

Vamos encarar a cozinha de frente. Porque se não é a ideal, é a que tem!!!


segunda-feira, 22 de junho de 2009

Mais Pessoal, Impossível

Tenho amigos distantes feitos de alma e coração.

No último fim de semana estava tudo esquematizado para esticar até Sampa e encontrá-los. Seria um 'SuperMegaTurboPlusEvento' com direito a fotos, bolo, risos e cerveja. Por motivos sérios e totalmente contra minha vontade não pude ir.

A vida nos coloca obstáculos e nos põe a prova a todo momento. Se foi impossível estar com eles nessa oportunidade foi para poder resolver com a cabeça tranqüila toda a fase esquisita que estou passando. E do mesmo modo que a vida me ‘embarreirou’ dessa vez, ela há de me dar oportunidades de estar com vocês num outro momento... Dri, Ulisses, Melina, Victor e Marta. E mais Flaviiii...
















Mas, se não deu para esticar até Sampa, deu, pelo menos, para descer a Serra, ir a uma vernissage (uia, que chic) no Parque Lage e depois cair na Lapa, o bairro ‘mais mais’ da Cidade Maravilhosa. Cerveja gelada e Circo Voador com Songoro Cosongo – Arriba!

Também tenho amigos feitos de alma e coração

que estão pertinho!!!... Rê e Rosa!


sexta-feira, 19 de junho de 2009

Um Concurso Para as Meninas


No final do mês de maio comecei a navegar por blogs femininos atrás de textos inteligentes e criativos e como falei em um post passado me deparei com muita coisa boa. A mulherada anda escrevendo com entusiasmo. Numa dessas minhas navegadas encontrei o Blog Escreva Lola Escreva e logo depois sua autora lançou um concurso que gostaria de compartilhar com vocês.

Entre nós, indicamos e depois votamos no que julgamos serem ótimos textos ‘só de meninas’. Esse mês já está ocorrendo uma votação. São 12 textos que vocês podem ler através de links lá na Lola e depois votar. A idéia é que tenha uma vencedora a cada mês.

“O critério para essa primeira etapa do concurso foi simplesmente indicação. Concorrem as blogueiras que indicaram um post específico de um blog (delas próprias ou de outra blogueira). É muito difícil comparar blogs tão diversos, que tratam de tudo quanto é assunto. Portanto, vamos começar com posts. Houve gente que indicou blogs, mas não um post específico. Por favor, pra próxima vez (mês que vem, espero), mandem nomeações pra um post só, não um blog.”

Nada de prêmios mirabolantes. O blog premia com reconhecimento (oba) e um selinho simpático onde também podemos palpitar.

Então?

Passem lá na Lola e participem.

Eu já tenho um texto para indicar para o próximo mês!!!

E também quero ser indicada um dia. Ficaria feliz em participar dessa iniciativa. E o ‘ego’ agradece... rsrs.

terça-feira, 16 de junho de 2009

Voz de Anjo

Renata Gaspar canta Mar dos Mares.
Composição de Simone Guimarães e arranjos de César Nascimento.




Sintam-se abraçados e acarinhados quando aqui estiverem!!!
Beijos a todos.


Para saber mais de Renata Gaspar passem no MySpace da cantora.

sábado, 13 de junho de 2009

15 do 06, 36.



No final do outono de 1973 nasci.

São 36 anos de constantes renascimentos. Mudanças.

Vivi minha infância cercada de família tranqüila e amigos queridos.

Ri e chorei.

Mal entrei na adolescência comecei a namorar.

Ri e chorei.

Noivei, casei, tive dois filhos, separei, me fortaleci.

Ri e chorei.

Lecionei, vendi, recepcionei, produzi, criei, atuei, contei histórias, cantei.

Ri e chorei.

Conversei, diverti, amenizei, conheci e reconheci, gritei, beijei.

Namorei e me apaixonei.

Hoje eu rio, hoje eu choro, hoje eu amo.

Hoje eu olho pra frente e espero novos renascimentos.

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Pós Moderna? Tô Fora...

Um dia a mulherada acordou e decidiu que era hora de tomar uma atitude. Não sei se foi coisa de noite mal dormida (ou mal comida), mas elas foram às ruas exigindo liberdade, presença no mercado de trabalho e queimando sutiãs. Deu no que deu: acumulo de funções. Hoje temos que ser mulher, esposa, mãe, estudante, profissional. Temos que pular da cama maquiadas, cheirosas e em cima do salto, entrar no carro que suamos para pagar as prestações, enfrentar o engarrafamento das 7 da manhã, deixar a prole na creche e chegar ao primeiro emprego. Hora de almoço? “Isso não te pertence mais...” O negócio é engolir um sanduíche natural no meio do engarrafamento do meio dia e se dirigir para o segundo emprego. A tarde voa no meio de tantos relatórios e você só percebe que o expediente acabou quando o celular toca: é a dona da creche querendo saber até que horas terá que ficar com seus filhos. Corre pra pegar a prole, leva para a casa da avó e parti para a faculdade. Encara 2 aulas de filosofia, 2 de sociologia e mais 1 de literatura grega. Passa de novo na casa da mãe para pegar os filhos, que já estão dormindo, e finalmente volta pra casa. Hora de relaxar... Onde? Como? Quando? Ta pensando que é feriado nacional? Hora de dar um jeito na casa, fazer o jantar, arrumar cozinha, colocar a roupa suja na máquina de lavar, ligar o computador para fazer aquele trabalho de latim para o dia seguinte, tomar um banho e desabar.
E depois disso tudo ainda temos que enfrentar as cobranças da sociedade em relação as nossas atitudes de Mulher Moderna: se trabalhamos demais, não estamos dando atenção suficiente para nossos filhos, se trabalhamos de menos, para ter mais tempo em casa, somos vistas como profissionais incompetentes. Se saímos com alguém da empresa com cargo superior ao nosso, estamos sendo interesseiras, se saímos com alguém com cargo inferior é porque estamos ‘a perigo’ e não conseguimos nada melhor. Se damos no primeiro encontro é porque somos atiradas demais, se não damos é porque somos pudicas demais. Se comemos pouco somos viciadas em dietas e escravas da beleza, se comemos demais somos umas depressivas que se apóiam na comida para suas culpas. E por aí vai...
Quer saber?
Tragam a tábua de passar roupa, a vassoura e o espanador porque quero voltar a ser ‘Amélia’. Quero calçar os chinelos, assistir Vale a Pena Ver de Novo e Sessão da Tarde, ir ao mercado sem pressa e comprar os legumes para a sopa do jantar. Quero discutir relação e reclamar que não saio de casa pra nada, que só sirvo para lavar, passar e cozinhar. Quero estar descansada no fim de semana para levar as crianças ao shopping e usar o cartão de crédito do maridão.
Desisto de ser Pós Moderna, quero meu sutiã de volta!!!!

terça-feira, 2 de junho de 2009

"Mal- Amada"


Tem pessoas que não sossegam até ver o próximo arrasado por algum motivo.
Ultimamente tenho estado tão quieta no meu canto, tão isolada do mundo e nem assim escapo da 'boca' alheia. O povo tem inveja até da vida 'pacata' que levo.
O que não surpreende ninguém é que isso é coisa de gente 'mal amada'. Sabe aquela mulherzinha futil que vive um casamento de merda mas não se separa para manter as aparências? Manter aparências sociais e, claro, o bom dinheiro que a família do marido capacho pode dar. Carro do ano, casa redecorada a cada estação, filhos em escolas particulares e tudo mais que possa ser esfregado na cara da sociedade.
O que não consigo entender é o que minha vidinha tediosa pode tanto incomodar essa 'dona'. Passo a maior parte do tempo em casa, desempregada. No momento tenho coisas planejadas, quase prontas para irem às ruas, mas ainda nada pálpavel. Trabalhos e deveres escolares, pizzas e pipocas com o filhote. Alguns fins de semana vou ao Rio para um almoço, um cineminha ou umas comprinhas com o 'caso sério'. Acompanho alguns amigos em suas apresentações, o que me dá imenso prazer. Se não tem apresentação tem conversas afiadas com um queijinho aqui, um vinhozinho acolá em meio a risos e porque não, choros de vez em quando. E mais algumas coisas ótimassss que não cabem aqui, pois o blog é de respeito!!!!
A 'dona' aqui em questão era amiga, mas daquelas que como diz meu amigo Renan, nem a onça queria. Depois da minha separação ela continuou próxima para poder saber os detalhes sórdidos que culminou com o fim do casamento. Quando achou que já tinha sugado bastante trocou de lado e começou a disseminar seu veneno. Mas eu acho que o que alavancou toda sua fúria é que nada me afetou! Minha vida continuou em paz e feliz.
E continuará, porque pessoas pequenas não me afetam. Pessoas futeis não me afetam. Pessoas burras não me afetam (me irritam). Pessoas que não tem coragem de virar o jogo, que vivem na comodidade de sua vida infeliz não me afetam.
Eu tenho é pena dessa 'dona' mal amada...


*Infelizmente essa não é a única que repara em minha vida e cultiva uma inveja doída no peito, mas queria dedicar o post inteiro só a ela.