quarta-feira, 4 de maio de 2011

Desespero Noturno


Me deito com esperanças de uma boa noite de sono, mas os olhos não fecham, não me deixam adormecer. É o cansaço que me põe em alerta para cada parte do meu corpo. Meus pés latejam depois de um longo dia de sapatos fechados, minhas pernas doem com um vigor balzaquiano de dar dó. E a cabeça não para. Problemas que ficaram por resolver, detalhes que ainda devem ser vistos, alguns compromissos a serem cumpridos sem espaço na agenda. A mente não desacelera para que o corpo possa relaxar. E os pés continuam latejando. O banho quente não foi suficiente. Penso em levantar para um copo d'agua, mas sou repreendida pelo pensamento de que será pior, despertar os músculos para um movimento para fora da cama será fatal.
Na cama o corpo experimenta um balé de giros e meias voltas sem nenhuma graciosidade, apenas buscando o conforto para enfim desligar. O travesseiro é ajeitado diversas vezes, virados e revirados, trocados pelos outros três que ocupam uma cama tão grande para uma pessoa tão só. Será esse o problema? Espaço demais? Acho que não. Em dias frios tenho uma coleção de cobertores e edredons. Meus melhores amigos (até o momento - procura-se melhores amigos novos!).
Eu sabia que deveria ter tomado algo relaxante antes mesmo de colocar o pijama. Chá ou Vodka? Ainda é terça feira, melhor seria ter optado pelo chá, mas agora é tarde. Nem chá, nem vodka, nem leite quente, nem rivotril.
Os pensamentos agora são quase desesperadores gerando uma ansiedade em saber que noite mal dormida é igual a acordar torta e passar todo o dia com sono e mau humor. Alguém vai sofrer as consequências amanhã além de mim. Fato!

Alguém sabe informar se contar carneirinhos já deu certo com alguma criatura nessa situação???


segunda-feira, 2 de maio de 2011

Fim de semana agitado no mundo.


Um final de semana para entrar para história...
Um casamento que coloca um terço da população mundial em frente a TV. Milhares e milheres de pessoas observando cada detalhe da Família Real Britânica e os festejos das bodas de Will e Kate. Achei incrível aquela multidão nas ruas de Londres comemorando junto como se fossem convidados diretos de uma celebração que parecia um conto de fadas. E não era? Uma plébeia, que nunca foi gata borralheira, mas era sim, plebéia, se casando com um príncipe bonito, elegante e charmoso, com seus súditos apaludindo e suspirando diante do primeiro beijo. Sim, conto de fadas e me emocionei de certa maneira com isso. Podem gritar agora: "mulherzinha!!". Sou! Fazer o que?
Depois, no domingo, pudemos assistir a beatificação de uma pessoa que ainda nos é tão próxima. Religiões a parte, João Paulo II era um santo homem no sentido mais belo da palavra: unificou multidões em torno do catolicismo, uniu povos em guerra com suas viagens pelo mundo em missões de paz. Não concordo com a maioria das decisões da Igreja Católica em relação a vários assuntos, mas me curvo diante do homem Karol Wojtyla que viveu de acordo com os preceitos que escolheu sem nunca ter 'desmoronado'.
E no final da noite, quase madrugada de domingo para segunda, distraída na internet, escuto com susto aquela vinheta de plantão da Rede Globo. Osama Bin Laden está morto. Dez anos após o ataque as Torres Gêmeas parece que o Exército Americano finalmente mata o homem que assumiu o maior ataque terrorista de todos os tempos. Bem, até o momento em que escrevo por aqui a noticia de sua morte foi colocada em todos os meios de comunicação exaustivamente, mas provas que é bom, 'none'. Cadê o corpo? Uma foto? Uma filmagem? Uma prova em dna? Hummm... nadinha, apenas o pronunciamento de Sr. Obama. Não estou aqui para jogar areia na festa dos americanos, mas essa morte não parece providencial num inicio de campanha de reeleiçao de um presidente que andava em baixa com o povo???
Não percam as cenas dos próximos capítulos...
Haverá divórcio? Haverá milagre? Haverá prova?
O mundo caminha um pouco descrente, tantas dúvidas parecem normais. O jeito é sentar e esperar o próximo noticiário.