quarta-feira, 25 de julho de 2012

Vem pra Caixa você também... e se ferre comigo!


Abrir uma conta na Caixa Econômica Federal pode ser uma via de mão dupla:
Ou você comprou um passaporte para ir direto para o paraíso quando morrer ou você já morreu, não sabe e foi direto para o inferno.
Alguns meses atrás abri uma firma e precisei de uma conta juridica para receber os pagamentos. Logo fui conversar com meu gerente no banco Santander, que tenho conta a nove anos, e ele me informou o que eu precisava: comprovante blá, cópia blá, cópia blá e em alguns dias eu receberia minha máquina Cielo.
- Mas eu não preciso de uma máquina Cielo!
- Mas aqui só abrimos conta jurídica para firmas que usam máquinas Cielo.
- (silêncio) ????? (cara de idiota) Mas eu não vou vender nada!
- Mas se você precisa de uma conta para 'receber' é porque vai vender algo!
- Sim, mas eu não vou vender bananas, panelas ou cabides. Vou prestar serviços. Só preciso emitir notas de serviço...
- Ah... então não pode abrir conta aqui não. Aqui só com máquina da Cielo.
Juro que saí de lá sem entender nada e como estava sem a menor paciência fui direto a Caixa Econômica Federal. Já haviam me falado que para conta jurídica era a melhor opção, sem muita burocracia e abertura imediata. Meu calvário começou ali!
Meus documentos estavam ok, mas me pediram um depósito astronômico que eu não tinha. E eu já sabia que nenhum dos meus conhecidos precisou fazer tal depósito quando abriu. (amigos pobres como eu)
- Mas aqui as normas mudam de tempos em tempos.
- (silêncio) ????? (cara de idiota)
Voltei pra casa desanimada, mas não desisti.
E visitei a agência mais algumas vezes tentando "mudar as normas" ou pedindo uma outra opção. Passei por três gerentes diferentes e finalmente um 'santo' me falou que abrisse uma poupança jurídica.
- Isso existe????? (a cara de idiota se tornou a cara oficial)
- Sim. E você não precisa fazer nenhum depósito inicial, pode movimentá-la como a conta corrente com um cartão direto no caixa ou na automática. Já tenho aqui seus documentos. Amanhã você passe aqui para assinar o contrato
Sendo assim, ótimo!
No dia seguinte quando voltei para assinar o contrato, fui encaminhada para um quarto gerente, assinei, recebi um cartão de papel com o número da minha conta e criei uma senha para o banco e para a internet. Luxo!
- Ótimo. Quando receberei meu cartão de movimentação?
- Esse é seu cartão de movimentação (apontando para o CARTÃO DE PAPEL).
- E como é que eu movimento no caixa automático com isso?
- Ah não... conta poupança jurídica só mesmo nos caixas convencionais. A senhora apresenta esse cartão e pronto!
- Mas o rapaz ontem me falou........
- Ele é novo, deve ter se enganado!
Saí da porra da agência xingando todas as mães de gerentes de bancos.
Duas semanas depois meu primeiro pagamento caiu e lá fui eu receber!
PQP - três vezes!
É um caos.
A fila já começa na hora de pegar a senha. A mocinha encarregada delas se apega demais aos clientes e adora bater um papinho. Você fica esperando por uns 10 minutos apenas para saber qual seu número de atendimento.
Aí funciona assim: duas letras e três números
CP 287 ou CR 176 ou CC 061
Eu sou sempre CC. Aí você entra e tem nove caixas e apenas duas pessoas para atender. Uma beleza. Mas pensa que nem vai demorar: está no CC 049 e o meu é CC 061.
Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh....
As chamadas lentas:
CR 287
CR 288
CP 176
CP 177
CP 178
CC 049
CP 179
CR 289
CP 180
CP 181
CC 050 .............................
Entenderam como funciona?
Fiquei imaginando as legendas:
CP - Conta Preferencial
CR - Conta Regular
CC - Conta Cachorro
A última vez que estive na agência foi preciso esperar 1 hora e 50 minutos.
E quando cheguei logo perguntei:
- O que é preciso para ser promovida de CC para CR?
Eu sinceramente não sei o que passa na cabeça desse povo que em vez de ajudar quer mais é que o povo se ferre.
Quatro meses de conta e já paguei todos os pecados dessa vida e da anterior!

terça-feira, 10 de julho de 2012

Simples, somente...



E eu quero fazer mais
Ser mais
Descalça em linhas retas
No chão compasso de alegria
Danço, girando em pernas
De bailarina, de colombina
Delírio de sentir-me imensa
Diante de apenas
De somentes
De estar eu e você
Assim
Sem medo de ganhar
De viver
De saber o que é a vida

Senta e acalma
Porque viver é acalmar-se
Enquanto o mundo lá fora
Não se detém em planos simples

terça-feira, 3 de julho de 2012

Festival de Inverno Sesc


Esse ano estarei novamente no Festival de Inverno do Sesc Rio.
Depois de 4 anos presente no festival apenas como platéia, esse ano volto ao evento trabalhando, produzindo.
A Cia. Teatro Livro Aberto, cia. onde atuo e produzo atualmente, apresentará o espetáculo O Cavalo Transparente, de Sylvia Orthof.
Estou muito feliz. O texto é maravilhoso, o elenco é ótimo, as músicas são lindissimas... não tem como não se emocionar com tamanha poesia.
Entrei para a Cia em dezembro de 2010 e o ano de 2011 foi de organização, montagem e ensaios. Já estava ansiosa para que todos os trabalhos começassem a dar frutos e aí está: 2012 está sendo de muito trabalho e fomos presenteados com o convite do Sesc para nos apresentarmos por toda a Região Serrana em um Festival que é concorridíssimo entre os artistas e entre o público. Esse ano terá Alceu Valença, Lô Borges, Antônio Nóbrega, Armazém Cia. de Teatro, Moraes Moreira, Casuarina, Arrigo Barnabé, João Bosco e muito mais... Ou seja, sucesso garantido!!
Então, quem estiver aqui pelo Estado do Rio, vale a pena dar uma conferida na programação e se encher de arte! E eu recomendo O Cavalo Transparente, claro!
A Cia. Teatro Livro Aberto tem um blog! Dê uma olhada na sinopse e nas fotos do espetáculo por lá!
E para maiores informações sobre o Festival e programação completa, acesse o site do Sesc Rio!

O Cavalo Transparente