sábado, 31 de dezembro de 2011

Voltando...

Decolando... é tudo que se vê... maravilhoso!

(Entre Belém e São Luis...)

Um texto digitado nos ares e em novo 'brinquedinho' que Papai Noel trouxe esse ano pra mim. No fim das contas deu certo ser uma boa menina durante o ano. Me recolhi quando necessário, respeitei a decisão dos outros e olha aí, meu ano terminando de forma inusitada e positiva...

Não houve grandes acontecimentos ao longo do ano. Muito trabalho, pouco dinheiro, uma carga emocional de tirar qualquer um do sério, problemas, problemas, problemas e eis que chegam férias surpreendentes.

Valeu o ano. Valeu qualquer stress.

Ontem arrumando as malas para voltar a realidade, deixei uma mensagem:

“Já estou com saudades. Triste por ir embora. Coração apertado com a sensação de perde-lo de vista novamente. Não deixe acontecer, ok¿”

Beijos, carinhos e afagos de despedida e cá estou eu voltando para os meus.

Quem sabe quando será a próxima... que seja breve, que seja!

Aproveito para desejar um 2012 sem apocalipse. Um ano de bastante trabalho, de novas conquistas, de novos amores (ou antigos, sei lá), sem crises econômicas ou emocionais!!!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Para o interior....


É pra sempre, não é?
Tive dúvidas esse ano, mas hoje, aqui, no finalzinho, me encontro a 2.500km de casa vivendo uma aventura, uma pequena loucura de amor.
Em menos de uma semana comprei passagens, arrumei malas e me pus a caminho da felicidade. Num voo sofrido para o interior do interior, encarei 7 horas de viagem e aqui estou... Feliz.
Quando falo voo para o interior do interior é mesmo em duplo sentido. Estou no interior do interior do país e estou no interior do MEU interior. Foram horas de expectativa do que iria encontrar pela frente nessa cidadezinha onde hoje ele trabalha e do que iria encontrar dentro de mim nesse reencontro de paixão e acima de tudo de um amor incondicional que vivencio a quase oito anos!
Quando aterrissei naquele lindo tapete verde me senti realizada, senti que "pronto, nada mais tem importância nesse mundo, vou viver, viver e viver essa louca vida de emoções que não precisam ser explicadas".
Me encontro agora sem palavras.
Ou talvez esteja esperando ainda mais para poder registrar por aqui toda a felicidade que transborda do meu coração. Mas pode ter ainda mais? A coisa está tão latente em minha vida agora que nem me preocupo o que vem por aí. Vivencio o agora. O êxtase de estar junto com alguém que entrou na minha vida e jamais sairá.
...
Todas as manhãs...
Eles acodam e ela fala:
- Bom dia. Já te falei o quanto estou feliz de estar aqui?
E ele responde sorrindo:
- Já, mas pode repetir quantas vezes quiser!"
...

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Vai... pode ir...

GUSTAV KLIMT, pintura de 1907

"Quero a vida sempre assim com você perto de mim
Até o apagar da velha chama

E eu que era triste
Descrente deste mundo
Ao encontrar você eu conheci
O que é felicidade meu amor"


Ela mal conseguia respirar.
Estava, mais uma vez, passando por uma crise de ansiedade. Mas era diferente. Era uma felicidade inquietante, o coração aos pulos tentava digerir a notícia que esperara por algum tempo e finalmente acontecera.
Um e-mail no meio da tarde trouxe a alegria. Ela tinha um imenso sorriso e desconfiava que tão cedo ele nao deixaria seu rosto.
Depois do e-mail um telefonema para confirmar. E a única resposta que pode dar era: "Feliz, estou muito feliz. Muito Feliz. Muito feliz." Assim mesmo, repetidas vezes e em meios a suspiros.
E agora?
O que fazer com toda essa felicidade??
Tanto tempo, tanto tempo sem algo parecido. Fica aquela ruguinha no meio da testa imaginando o que podia vir depois de toda essa felicidade.
Não importa.
Ela sorri mais uma vez, desfaz a tal ruguinha e parte de braços abertos para descobrir o verdadeiro sentido da vida!!

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Dezembro, mês das contas.

Agora estamos nesse ritmo: piscou, o ano passou!
Não dá nem tempo de olhar pra trás.
Lá vamos nós de novo enfrentar o mês das compras natalinas: presentes da família, presentes do amigo-oculto, ingredientes da ceia, enfeites para a noite da festa e ainda tem o reveillon. Ehhh 'gastança'!
Sem contar que não dá nem para pensar em esquecer que tem que sobrar dinheiro para as compras de janeiro: material escolar, uniformes, matrículas...
Dezembro é mesmo um mês de contas. Cada centavo conta. Pode fazer falta na caixinha do carteiro, do lixeiro, do gás, do porteiro, do motorista...
Eu até evito ficar circulando pela internet naquelas megastores onde tudo é tentador quando o 13o saiu! Mas como não sou muito social para andar nas ruas lotadas nessa época, compro mesmo pela net e aí não tem jeito: o presente do filho está coladinho naquela câmera digital que paquera faz tempo; o presente da filha está na mesma seção do netbook que enche os olhos desde o natal passado; o presente da afilhada... Assim não dá, vou ter que me mimar um pouquinho, né? Se eu tirar uns troquinhos de cada caixinha e trocar o peru pelo frango na ceia, acho que vai dar!!!!

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

As Faces de Meryl

Kramer vs Kramer - 1979

A Escolha de Sofia - 1982

Entre Dois Amores - 1985

Ironweed - 1987

A Casa dos Espíritos - 1993
As Pontes de Madison - 1995

O Diabo Veste Prada - 2006
Leões e Cordeiros - 2007

Mamma Mia! - 2008

Dúvida - 2008

Julie & Julia - 2009

A Dama de Ferro - 2011

Uma das atrizes que mais gosto de assistir atualmente, melhor, há muito tempo, é Meryl Streep. Acho que ela é de um talento incomum quando se refere a marcar personagem. Camaleoa, sempre que estréia um filme novo me vejo com a mesma exclamação: "Caraca, está compleamente diferente!"
Um exemplo ótimo disso é o ano de 2008 quando foram lançados 2 filmes totalmente distintos com ela: Doubt e Mamma Mia.
No primeiro Meryl encarna uma Irmã rígida, diretora de uma escola na década de 60, onde coloca em dúvida as atitudes de um padre da paróquia e suas próprias convicções. E Mamma Mia é um gostoso musical baseado nas canções de ABBA, rodado na Grécia, onde sua personagem se vê de novo a frente dos possiveis pais de sua filha.
É claro que maquiagem e figurino ajudam, mas a postura de Meryl sobrepõe qualquer efeito e ajuda técnica. Talento.
E é linda, não?


Meryl Streep nasceu em 1949.
Sua estréia no cinema foi em 1977 com o filme Julia.
Possui 16 indicações ao Oscar, tendo recebido o prêmio duas vezes: Kramer vs Kramer - atriz coadjuvante e A Escolha de Sofia - atriz.
E 25 indicações ao Globo de Ouro, levando 7 prêmios.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Só nos resta rezar?


Final de novembro e as chuvas já estão caindo sem o menor pudor aqui pela região serrana.
Em janeiro último, como todos devem se lembrar, houve a maior catastrofe da região devido as fortes chuvas o que causou quase mil mortes, milhares de desabrigados e ainda muitos desaparecidos. Uma grande tristeza se abateu sobre todos, uma corrente de solidariedade foi formada, mas me pergunte o que governo fez para minimizar novos danos e para restituir as vítimas... Nada.
Vimos ao longo de 2011 os prefeitos das cidades de Teresópolis e Friburgo sendo destituidos de seus cargos por uso indevido das verbas destinadas as famílias que enfrentaram e perderam a guerra com a natureza. Corrupção, que ao me ver deveria ser punida com cadeia, mas sabemos que no país de contos de FODAS que é nosso Brasil, nada acontece. E em Petrópolis vemos a letargia do digníssimo prefeito que ao invés de construir casas e dar o mínimo de dignidade ao seu povo, resolveu dar uma de decorador e fazer cenários de magia na cidade para o Natal. Nossa Cidade Imperial tenta atrair turistas acendendo bolas cafonas em suas árvores e esquecem que para os visistantes se fazerem presentes por aqui a coisa tem que ir além. Só que o que esperar de secretarias que se enfrentam entre si e se perdem em pequenas questões, enquanto a sujeira vai se colocando embaixo de um tapete enorme?
E não falo isso olhando de fora, porque aqui todos estão no mesmo miolo. Todos estão sempre em perigo nessas questões ambientais. Petrópolis cresceu e cresce de forma desordenada, sem fiscalização e todo metro quadrado é de risco. Se você não tem problema porque mora longe de uma encosta, fatalmente terá problema porque mora perto de um rio sempre pronto a transbordar.
Tem milhares de questões capengando em nossa cidade. A saúde está doente, a educação está completamente indisciplinada, a cultura morreu.... Mas hoje minha maior preocupação é a volta do verão e suas chuvas. Essa foi uma preocupação de ano inteiro, mas sempre se pensava que algo seria feito. Agora acabou o tempo, nada foi feito e tudo pode acontecer numa terra onde é cada um por si e Deus por todos.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Eu e novela? Pois é...


Eu já escrevi aqui sobre filmes, sobre séries, sobre comerciais, mas nunca sobre novelas. Acho que a última novela que acompanhei com certo interesse foi... humm... não me lembro. Não tenho muita paciência, são todas muito longas e as histórias vão se arrastando num ritmo desolador. Sem contar que, ou os personagens são previsíveis demais ou não fazem nenhum sentido.
Chegou a hora de rever meus conceitos. Ou morder a língua, como queiram.
Tenho assistido com certo interesse, olhos marejados e por vezes sorrindo a novela A Vida da Gente. A história é dramática demais e se não fosse a boa mão do diretor Jayme Monjardim ela certamente seria tachada de "mexicana". Para grata surpresa, o drama dá sempre espaço para uma ternura e uma delicadeza tão grande que é impossivel não se emocionar.
Com personagens bem estruturados e uma fotografia que foge ao eixo Rio -São Paulo e nos enche os olhos com as belezas do Sul, A Vida da Gente tem como tema principal a história de uma adolescente com futuro promissor no esporte e um grande amor recém descoberto, mas sua vida é interrompida depois de um acidente de carro que a deixa em coma por longos 5 anos. Acordando ela vê que tudo a sua volta seguiu de forma inesperada, ora aproximando pessoas, ora separando... É ou não um super drama? Mas garanto que é tratado de forma brilhante pela autora Licia Manzo.
A trilha sonora é uma agradável surpresa a parte. Tem Chico Buarque, tem Gilberto Gil, Rita Lee, Cassia Eller, Moska... tudo encaixado direitinho pra criar climas perfeitos. E tem Zizi Possi cantando Explode Coração como tema de um dos casais com maior química na novela, opinião pessoal, Marcos (Angelo Antônio) e Dora (Malu Galli).
É isso... to gostando de acompanhar essa trama e já me peguei torcendo pelos personagens... rs.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Deveria ser assim todo dia...

... mas só por hoje, já agradeço a Deus!


"Certos momentos deveriam acontecer lentamente, pois serão eternizados.
Felicidade é aproveitar cada segundo."

(Fernando Gauthier)

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

American Horror Story

Ontem zapeando pela TV, por sorte bati na Fox bem no primeiro minuto de American Horror Story.
A história já está um pouco batida, casal tentando refazer a vida depois que a esposa sofre um aborto e uma traição se muda para uma casa cheia de segredos e assombrações. Mas a direção de Ryan Murphy (Sim, diretor e criador de GLEE) está primordial.
Gostei bastante. Essa coisa de terror sempre me remete a Stephen King e a série não deixou nada a desejar! Vou acompanhar com certeza.
E fica a dica - como a série estreou lá fora no início de outubro, tem epsódios pela net para baixar!!!

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Sem...


Falava baixo, pouco gesticulava.
Estava sempre olhando para o chão.
Mãos cálidas, olhos tristes, pernas imprecisas.
E a vida? Onde estava?
Na falta de um coração...

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

terça-feira, 25 de outubro de 2011

O que foi que você deu, meu bem?

"Eu dei,
O que foi que você deu meu bem ?
Eu dei,
Guarde um pouco para mim também,
Não sei, se você fala por falar sem meditar,
Eu dei,
Diga logo, diga logo, é demais,
Não digo e adivinhe se é capaz..."


Continuando com a saga dos encontros virtuais em sites de relacionamentos (é quase em busca do Cálice Sagrado!) sempre me deparo com galanteadores de primeira linha. Digo primeira linha porque o respeito para mesmo na primeira linha do chat. O povo anda ousado e quer logo algo quente NA segunda linha ou DE segunda linha ou, ainda, NA/DE segunda linha.
Ahhh vai.... tem aqueles que se comportam por um tempo maior. Aí você cai nas historietas e resolve marcar um encontro. Decepção. De cara já quer beijar, passar a mão, opaaaaaa.... Que isso, meu filho? Como é afoito!!! Corre pra casa e deleta qualquer contato com a criatura.
Mas tem aqueles que esperam um segundo encontro para convidar para um programa mais íntimo. Programa Íntimo = Motel. Num primeiro momento você fica sem saber o que responder, mas aí vem a luz e você prepara um lindo discurso de "não precisamos apressar nada", "vamos caminhar com calma", "criar intimidade vem com comprometimento", "melhor nos conhecermos um pouco mais", "blá, blá, blá".... Tudo desculpa de quem não está afim de ir para a cama com aquela criatura...
Não pensem vocês que sou púdica demais. Pelo contrário, adoro sexo, acho que sexo é essencial para uma vida saudável, mas eu tenho o direito de escolher para QUEM dar, ONDE dar, QUANDO dar... ou não?
Tenho 38 anos, sou indepentende, solteira, com filhos criados... Dá licença?
Tá certo que o discurso que usei acima é meio "menina" demais, daquelas que querem se apaixonar. E qual é o problema? Enamorar-se num terceiro, quarto encontro ainda está valendo em minha vida.
Viva o romantismo!!!!

terça-feira, 18 de outubro de 2011

A Língua "Tupi-Guaraná"!


Olha eu me enveredando em sites de relacionamentos de novo. Podem falar, sou guerreira, sou persistente, sou brasileira e não desisto nunca, não é? Nãooooo.... sou é cabeça dura mesmo, porque já sei que nunca vai dar em nada e mesmo assim insisto.
Corrigindo.
Não é que não vai dar em nada. Sempre dá alguma coisa, mas coisa boa é que não é. E sempre dá um bom texto. Olha aí!
Há umas duas semanas conheci duas criaturas on line. Um era biólogo marinho em Minas. (??????) Sério, foi o que ele me contou. Depois se retratou dizendo que se formou com ênfase em fauna marinha, mas hoje trabalhava num parque em Minas. Ok, vou aceitar. O outro era segurança, compositor profissional e estudava psicologia. O que os dois tinham em comum?? Analfabetos de pai e mãe. Aí você me pergunta: mas como? fizeram ou fazem faculdade?
NÃO SEI !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Minha mãe santíssima, era quase impossível manter uma conversa saudável com um indivíduo que me pedia a todo instante: "poço" te perguntar uma coisa? ou: "voçe" pode me "da" se telefone? ou ainda: "que" "sai" pra "toma" um cafe "com migo"?
É quase código. Sem contar que não se usa uma vírgula, um ponto de interrogação, uma letra maiúscula, um acento...
Algumas pérolas avulsas de um dicionário tradutor para longas conversas com pessoas assim:
Juvendo = Chovendo
Estrumento = Instrumento
Umilde = Humilde
Enteligente = Inteligente
Falna = Fauna
Aparti = A partir
Muinto = Muito
Pal = Pau
Converssa = Conversar
Cocordançia = Concordância
Dezeijo = Desejo
Parzer = Prazer
Depreciva = Depressiva
Guando = Quando
E por aí vai...
Eu consegui conversar por meia hora antes de começar a corrigir. Como a maioria das pessoas, eles não gostaram, me deram uma série de desculpas pelos erros, aquela historinha de que nenhuma brasileiro fala corretamente a língua tupi-guarani (como assim?????) e continuaram escrevendo suas pérolas. Daí não deu pra continuar a conversa.
Sou muito rígida???
Ahhh... "Óquei". Sou. Mas é o mínimo, né?

* Quando estava procurando 'uma fotinha' para ilustrar o texto vi o seguinte título: "Diploma Não Encurta Orelha de Burro!"
E não é?

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Nosssaaaaa... tanto tempo assim?


Eu não me dei conta que estava sem escrever a tanto tempo. Esses dias alguém escreveu um post no Facebook que dizia que a pior coisa era escrever sem vontade. Era uma blogueira e provavelmente estava com o blog abandonado também... rs.
Mas é verdade. Passei mais de 2 meses longe daqui porque simplesmente nao tive vontade de escrever. Até me obrigava, mas não é a mesma coisa, não fica bom, fica falso, fica sem graça, chato. (To chata agora? ai meu Deus).
Sem inspiração e com algumas coisinhas para resolver que acabaram por tomar meu tempo e minha saúde mental (drama) me mantive ausente tanto em publicar por aqui, quanto por visitar e comentar meus blogues favoritos e amigos.
Dá tempo de me redimir?
To com saudades e vou colocar em dia minhas visitas a Betty Gaeta no Gosto Disto, a Gaby no Descanso, Sensitivity, a Dani do Trocando Ideias - Espaço Mulher, a Dá no Carpe Diem, a Solange no Parole, a Daise no Espicula de Rodinha, a Flávia no Compartilhando Ideias, a Juliana no Miss Florinda, e muitos outros que me fazem sorrir sempre que leio suas linhas, que vejo suas fotos... Prometo!
Realmente não tenho desculpa. O trabalho está morno, o coração está completamente desocupado, a vida está devagar. Então não vou ficar aqui falando que estou na correria, foi preguiça mesmo.
Para não dizer que nada acontece, dia 08 estou de malas prontas, viajando para estréia do novo espetáculo da Cia. Teatro Livro Aberto. Estou feliz, animada e tenho certeza que tudo dará certo. Depois conto como foi, vale um post, não é?
Vou terminar com beijos porque isso aqui mais pareceu uma carta de desculpas que um texto delicioso para diversão dos meus amigos!!!
Então...
BEIJOS !!!

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Hoje, para meus amigos...


Amigo, toma para ti o que quiseres,
passeia o teu olhar pelos meus recantos,
e se assim o desejas, dou-te a alma inteira,
com suas brancas avenidas e canções.

Amigo - faz com que na tarde se desvaneça
este inútil e velho desejo de vencer.
Bebe do meu cântaro se tens sede.

Amigo - faz com que na tarde se desvaneça
este desejo de que todas as roseiras
me pertençam.

Amigo,
se tens fome come do meu pão.

Tudo, amigo, o fiz para ti. Tudo isto
que sem olhares verás na minha casa vazia:
tudo isto que sobe pelos muros direitos
- como o meu coração - sempre buscando altura.

Sorris-te - amigo. Que importa! Ninguém sabe
entregar nas mãos o que se esconde dentro,
mas eu dou-te a alma, ânfora de suaves néctares,
e toda eu ta dou... Menos aquela lembrança...

... Que na minha verdade vazia aquele amor perdido
é uma rosa branca que se abre em silêncio...

Pablo Neruda in "Crepusculário"

sábado, 16 de julho de 2011

Apagando aos poucos...


Hoje eu acordei com muita saudade.
Não devia, mas chorei.
Passei o dia driblando os pensamentos, tentando fazer com que tudo se apagasse, fingindo que nada aconteceu.
Não deu.
Me afundei.
Vai passar. Tem passado nos últimos meses. Vai passar...
Nem lembro mais o telefone. Bom começo? Acredito que sim.
Só falta esquecer o endereço, sobrenome, o rosto...
Mas hoje vejo que é mais fácil do que eu imaginava.
Só fica difícil em dias de saudades, mas vai passar...

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Companhia Teatro Livro Aberto


Desde o final de 2010 estou trabalhando na Companhia Teatro Livro Aberto. Aceitei um convite para produzi-los e agora aceitei um segundo convite: atuar na nova produção do grupo (mas isso é uma história para postar um pouco mais tarde, aguardem!).
Como, mesmo enroladíssima em ensaios, contatos e contratos não consigo me desligar do mundo virtual, resolvi criar um blog (AQUI PARA CONHECER!!!) para a cia. Então hoje vim aqui para fazer propaganda. Convidá-los a dar um pulinho lá e conhecer esse trabalho tão encantador que me apaixonei logo de cara. Por enquanto só tem uma breve apresentação, mas virão muitas postagens, afinal são mais de 20 anos de estrada do grupo e muita história pra contar!
Vou postando aos poucos a ficha técnica, os releases dos vários espetáculos em cartaz, as fotos de palco, de estrada, de alegria que a cia. proporciona a seu público... acompanhem. E quem sabe não aparecemos aí pela cidade de cada um de vocês e possamos nos conhecer ao vivo, a cores e cheios de energia?

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Porque amamos cachorros?


























Além de melhores amigos, são fofos, divertidos, espertos, brincalhões, amáveis...