quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Uma dose de paciência, por favor!


Muito, muito tempo afastada.
Não vou enumerar de novo os motivos pelos quais abandono o blog porque não cola mais. Trabalho, falta de inspiração, preguiça.... sempre o mesmo blá blá blá.
Mas reparem que linda poesia no último post. Foi quando conheci alguém, primeiro encontro, encantamento, sabecomé? Escrevi no primeiro e logo no segundo me arrependi. Mas como sou insistente arrastei por 2 longos meses. Exato os dois meses longe daqui, então nada melhor que falar o que mudou.... Ahhh... nada mudou, apenas li os sinais de forma errada.
O rapaz educado era na verdade chato.
O rapaz gentil era na verdade meloso.
O rapaz atencioso era na verdade inseguro.
O rapaz pronto para se entregar por ter vivido tão poucas experiências era na verdade bobo.
Eu até tentava entender: criação estranha, pais superprotetores, casa e trabalho praticamente no mesmo bairro, sem sair para nada, os cinemas eram com a tia solteira... Um dia, quando fiz o comentário com um amigo de que o rapaz era meio caipirão ele falou: "melhor assim, você molda do seu jeitinho"... ai, deu não, ia dar muitoooo, muitoooo trabalho!
E por fim, o que ele reclamava, minha falta de ânimo para com o relacionamento, era mesmo falta de paciência.  Não há relacionamento que resista a tantas cobranças em apenas dois meses. Cobranças até com a falta de 'bom dia' no Facebook. Trabalhos no fim de semana era o fim, a insegurança que gerava era piada (ei, eu trabalho com teatro... todo dia é dia, mas os finais de semana são bem mais cheios). Viagens então... eu ficava até melindrada em falar que tudo estava ótimo!
Estava dificil até de olhar nos olhos. Coisa que é bem facil pra mim quando gosto: olhar longamente para a pessoa, analisar cada centímetro de olhos, boca, nariz, testa...
Enfim, coração fechado novamente. Como me cansam essas coisas...
Caramba vim aqui só para desabafar??
Não, claro que não, porque se eu fosse desabafar esse texto seria bem mais longo e teria detalhes que ora passariam pelo trágico, ora pelo cômico. Ou seria só cômico? 
Agora que passou, já posso rir?
Acho que não, ainda estou puta comigo por ter caído na cilada dos sinais....

domingo, 2 de setembro de 2012

Fim de Inverno


Manhã azul
clara em sol de fim de inverno
esquenta a alma
e o coração serena ao encontrar-te

Em cada esquina
brisa fresca refreia o anseio
que se traduz em mãos nervosas
prontas para encontrar as tuas

E então o beijo:
de momento exato,
de olhos nos olhos
acaricia e transborda o que se previa

E então a soma...
pronta a multiplicar-se
em sentimentos de paz e felicidade
nos sorrisos de lábios juntos.


quarta-feira, 25 de julho de 2012

Vem pra Caixa você também... e se ferre comigo!


Abrir uma conta na Caixa Econômica Federal pode ser uma via de mão dupla:
Ou você comprou um passaporte para ir direto para o paraíso quando morrer ou você já morreu, não sabe e foi direto para o inferno.
Alguns meses atrás abri uma firma e precisei de uma conta juridica para receber os pagamentos. Logo fui conversar com meu gerente no banco Santander, que tenho conta a nove anos, e ele me informou o que eu precisava: comprovante blá, cópia blá, cópia blá e em alguns dias eu receberia minha máquina Cielo.
- Mas eu não preciso de uma máquina Cielo!
- Mas aqui só abrimos conta jurídica para firmas que usam máquinas Cielo.
- (silêncio) ????? (cara de idiota) Mas eu não vou vender nada!
- Mas se você precisa de uma conta para 'receber' é porque vai vender algo!
- Sim, mas eu não vou vender bananas, panelas ou cabides. Vou prestar serviços. Só preciso emitir notas de serviço...
- Ah... então não pode abrir conta aqui não. Aqui só com máquina da Cielo.
Juro que saí de lá sem entender nada e como estava sem a menor paciência fui direto a Caixa Econômica Federal. Já haviam me falado que para conta jurídica era a melhor opção, sem muita burocracia e abertura imediata. Meu calvário começou ali!
Meus documentos estavam ok, mas me pediram um depósito astronômico que eu não tinha. E eu já sabia que nenhum dos meus conhecidos precisou fazer tal depósito quando abriu. (amigos pobres como eu)
- Mas aqui as normas mudam de tempos em tempos.
- (silêncio) ????? (cara de idiota)
Voltei pra casa desanimada, mas não desisti.
E visitei a agência mais algumas vezes tentando "mudar as normas" ou pedindo uma outra opção. Passei por três gerentes diferentes e finalmente um 'santo' me falou que abrisse uma poupança jurídica.
- Isso existe????? (a cara de idiota se tornou a cara oficial)
- Sim. E você não precisa fazer nenhum depósito inicial, pode movimentá-la como a conta corrente com um cartão direto no caixa ou na automática. Já tenho aqui seus documentos. Amanhã você passe aqui para assinar o contrato
Sendo assim, ótimo!
No dia seguinte quando voltei para assinar o contrato, fui encaminhada para um quarto gerente, assinei, recebi um cartão de papel com o número da minha conta e criei uma senha para o banco e para a internet. Luxo!
- Ótimo. Quando receberei meu cartão de movimentação?
- Esse é seu cartão de movimentação (apontando para o CARTÃO DE PAPEL).
- E como é que eu movimento no caixa automático com isso?
- Ah não... conta poupança jurídica só mesmo nos caixas convencionais. A senhora apresenta esse cartão e pronto!
- Mas o rapaz ontem me falou........
- Ele é novo, deve ter se enganado!
Saí da porra da agência xingando todas as mães de gerentes de bancos.
Duas semanas depois meu primeiro pagamento caiu e lá fui eu receber!
PQP - três vezes!
É um caos.
A fila já começa na hora de pegar a senha. A mocinha encarregada delas se apega demais aos clientes e adora bater um papinho. Você fica esperando por uns 10 minutos apenas para saber qual seu número de atendimento.
Aí funciona assim: duas letras e três números
CP 287 ou CR 176 ou CC 061
Eu sou sempre CC. Aí você entra e tem nove caixas e apenas duas pessoas para atender. Uma beleza. Mas pensa que nem vai demorar: está no CC 049 e o meu é CC 061.
Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh....
As chamadas lentas:
CR 287
CR 288
CP 176
CP 177
CP 178
CC 049
CP 179
CR 289
CP 180
CP 181
CC 050 .............................
Entenderam como funciona?
Fiquei imaginando as legendas:
CP - Conta Preferencial
CR - Conta Regular
CC - Conta Cachorro
A última vez que estive na agência foi preciso esperar 1 hora e 50 minutos.
E quando cheguei logo perguntei:
- O que é preciso para ser promovida de CC para CR?
Eu sinceramente não sei o que passa na cabeça desse povo que em vez de ajudar quer mais é que o povo se ferre.
Quatro meses de conta e já paguei todos os pecados dessa vida e da anterior!

terça-feira, 10 de julho de 2012

Simples, somente...



E eu quero fazer mais
Ser mais
Descalça em linhas retas
No chão compasso de alegria
Danço, girando em pernas
De bailarina, de colombina
Delírio de sentir-me imensa
Diante de apenas
De somentes
De estar eu e você
Assim
Sem medo de ganhar
De viver
De saber o que é a vida

Senta e acalma
Porque viver é acalmar-se
Enquanto o mundo lá fora
Não se detém em planos simples

terça-feira, 3 de julho de 2012

Festival de Inverno Sesc


Esse ano estarei novamente no Festival de Inverno do Sesc Rio.
Depois de 4 anos presente no festival apenas como platéia, esse ano volto ao evento trabalhando, produzindo.
A Cia. Teatro Livro Aberto, cia. onde atuo e produzo atualmente, apresentará o espetáculo O Cavalo Transparente, de Sylvia Orthof.
Estou muito feliz. O texto é maravilhoso, o elenco é ótimo, as músicas são lindissimas... não tem como não se emocionar com tamanha poesia.
Entrei para a Cia em dezembro de 2010 e o ano de 2011 foi de organização, montagem e ensaios. Já estava ansiosa para que todos os trabalhos começassem a dar frutos e aí está: 2012 está sendo de muito trabalho e fomos presenteados com o convite do Sesc para nos apresentarmos por toda a Região Serrana em um Festival que é concorridíssimo entre os artistas e entre o público. Esse ano terá Alceu Valença, Lô Borges, Antônio Nóbrega, Armazém Cia. de Teatro, Moraes Moreira, Casuarina, Arrigo Barnabé, João Bosco e muito mais... Ou seja, sucesso garantido!!
Então, quem estiver aqui pelo Estado do Rio, vale a pena dar uma conferida na programação e se encher de arte! E eu recomendo O Cavalo Transparente, claro!
A Cia. Teatro Livro Aberto tem um blog! Dê uma olhada na sinopse e nas fotos do espetáculo por lá!
E para maiores informações sobre o Festival e programação completa, acesse o site do Sesc Rio!

O Cavalo Transparente

terça-feira, 26 de junho de 2012

Foi...


E mais uma vez me peguei pensando em como teria sido a vida SEM você.
E COM os demais,
Porque com você afastei os demais.
Afastei a vida que me rodeava e me fazia feliz.
Achei que seria ainda mais feliz.
E fui.
E não sou mais.
E não é assim mesmo?
Em mente e mente.
Feliz agora e amanhã, talvez.
Mas não pra sempre!

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Pequenos Fragmentos de Legião Urbana


Semana passada, ou na outra, houve furor no meio musical com o Tributo a Legião Urbana feito pela MTV. Muitos gostaram, muitos odiaram. Muitos criticaram Wagner Moura, muitos simplesmente curtiram a grande homenagem se divertindo como o ator. Meu caso.
E me dei conta de como ainda gosto das poesias de Renato Russo.
Muito.
Me emocionei e cantei junto (quase) todas as músicas apresentadas.
E me peguei cantando dia após dia muitas outras...
São letras que demonstaram as varias fases de Renato e da banda. O início revolucionário, o romantismo, a inteligência, suas ideologias e por fim a depressão que assolou em fase final da doença.
Uma perda poética irreparável ainda hoje e pra sempre!



“É a verdade o que assombra
O descaso que condena,
A estupidez, o que destrói”
     Metal Contra as Nuvens

“Queria ser como os outros
E rir das desgraças da vida
Ou fingir estar sempre bem
Ver a leveza
Das coisas com humor”
     A Via Láctea

“Sempre as mesmas desculpas
E desculpas nem sempre são sinceras
Quase nunca são”
     Acrilic On Canvas

“Quando nascemos fomos programados
A receber o que vocês
Nos empurraram com os enlatados
Dos u.s.a., de nove as seis.
Desde pequenos nós comemos lixo
Comercial e industrial
Mas agora chegou nossa vez
Vamos cuspir de volta o lixo em cima de vocês”
     Geração Coca-Cola

“Quem me dera
Ao menos uma vez
Acreditar por um instante
Em tudo que existe
E acreditar
Que o mundo é perfeito
Que todas as pessoas
São felizes...”
     Índios

“Consegui meu equilíbrio cortejando a insanidade”
     Sereníssima

“Nada mais vai me ferir
É que eu já me acostumei
Com a estrada errada
Que eu segui
E com a minha própria lei...”
     Andrea Doria

“Todo mundo sabe e ninguém quer mais saber
Afinal, amar o próximo é tão demodé.”
     Baader-Meinhof Blues

“Teu corpo é meu espelho e em ti navego
E eu sei que a tua correnteza não tem direção.”
     Daniel na Cova dos Leões

“Parece cocaína
Mas é só tristeza”
     Há Tempos

“Em vez de luz tem tiroteio no fim do túnel.
Sempre mais do mesmo
Não era isso que você queria ouvir?”
     Mais do Mesmo

“Todos se afastam quando o mundo está errado
Quando o que temos é um catálogo de erros
Quando precisamos de carinho
Força e cuidado”
     O Livro dos Dias

“E já me acostumei com a tua voz
Quando estou contigo estou em paz
Quando não estás aqui
Meu espírito se perde, voa longe”
     Sete Cidades

“Beberam o meu sangue e não me deixam viver
Têm o meu destino pronto e não me deixam escolher
Vêm falar de liberdade pra depois me prender
Pedem identidade pra depois me bater
Tiram todas as minhas armas
Como posso me defender?
Vocês venceram essa batalha
Quanto à guerra, vamos ver.”
     O Reggae

“Aceite o desafio e provoque o desempate
Desarme a armadilha e desmonte o disfarce
Se afaste do abismo
Faça do bom-senso a nova ordem”
     Plantas Embaixo do Aquário

“Então me abraça forte
E diz mais uma vez
Que já estamos
Distantes de tudo”
     Tempo Perdido

“É só você quem deve decidir o que fazer
Pra tentar ser feliz”
Teorema

“Acho que só agora eu começo a ver
Que tudo que você me disse
É o que você gostaria que tivessem dito pra você”
     Comédia Romântica

“Você é tão moderno
Se acha tão moderno
Mas é igual a seus pais
É só questão de idade
Passando dessa fase
Tanto fez e tanto faz.”
     A Dança


quinta-feira, 31 de maio de 2012

Bolos Esculturas


De vez em quando, quando lembro ou estou acordada, já que o horário é tardio, gosto de assistir Cake Boss. Um programa da Discovery em formato de realitty show que mostra o dia a dia de Buddy Valastro e sua padaria. Seria bem sem graça (programa numa padaria?) se não fossem os bolos esculturas que ele faz com maestria.
São bolos tradicionais, pedidos inusitados, temáticos, engraçados...
Os que eu mais gosto são os de casamentos. Bem decorados, sóbrios ou coloridos, românticos ou divertidos, são sempre lindos!
Não encontrei muitas fotos daqueles formatos diferenciados, mas deem uma olhada nesses. Não são de encher os olhos?

























sábado, 19 de maio de 2012

Caminhos


Sentir que o vento sopra seu passado pra longe e lhe presenteia com um futuro deliciosamente feliz...
Eu quero!
Viver é ser inquieto e não deixar que o vento sopre em vão.
É sacudir a poeira toda vez que ela insistir em desncansar pelo seu caminho.
Pise forte, se precisar dance, a poeira subirá e novamente o ar puro tomará conta da estrada que tem pela frente.
Longa.
Porém limpa.
É um estímulo.
Siga!

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Mais um dia...


E seria só mais um dia 
se naquele dia ela não tivesse transbordando de alegria.
De cabelos presos bem arrumados, 
vestido rodado e sapatos cintilando a cada passo,
encontrou-se com a felicidade para dançar até o cair da vida...

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Interna(mente)


Um dia ela se viu aconselhando,
arrumando soluções para problemas dos outros,
sem nem sequer perceber que sua vida andava uma bagunça.
Existia ali, dentro daquela cabeça cheia de conselhos,
um nó que só ela podia desatar,
mas que a cada passo o apertava ainda mais.
Contraditório, não?
Absurdamente sem sentido.
Mas é nesse caminho cheio de desvairadas 'desrazões' que ela vivia feliz!

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Folia da Vida


Vi nas pedras do chão de avenida

As tramas douradas nos pés das meninas

Vi mania de ser alegria

Nos rostos morenos de sol e poesia

Vi magia na ginga serena

De corpos mulatos em plena euforia

Vi semblantes de flores carmins

No alto flagrante de grandes alegorias


No carnaval delirante

De samba energia, de cantos vibrantes

Na batida suada dos surdos brincantes

Os blocos declaram abrir alas

A arte da vida que se inquieta a todo instante.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Bom dia. Café?


Adoro um bom café da manhã acompanhada. De amigos, da família, do amado, dos companheiros de teatro quando estamos viajando. É um ritual de preparação para o novo dia.
E também, sempre que dá, tomo café da manhã virtual com amigos de longe. Quase que diariamente trocamos brownies, pãezinhos, chás, sucos e o bom e caloroso café preto. Baldes para enfrentar o dia. Tudo por foto e saudações de "bom dia".
Enquanto o café 'pessoalmente' não chega, deixo aqui umas delícias para eles e para todos, claro.

















Para Dionízio, Deizi, Denise, Gaby e Raquel ...