quinta-feira, 7 de abril de 2011

Mil interrogações no dia de hoje.


O que está acontecendo com o mundo?
O que as pessoas tem na cabeça?
Melhor, o que falta na cabeça de certas pessoas?
O que leva uma pessoa acordar numa manhã de quinta feira, se dirigir a uma escola e descarregar armas em crianças indefesas?
Não ia escrever sobre isso. Não queria. Mas não estou aguentando calada.
Tenho um filho da idade da maioria das crianças mortas. Que passa o dia na escola.
Área aberta para qualquer um entrar e fazer o que quiser?
É muito, muito triste saber que nossos filhos são criados com asas próprias para desbravarem o mundo sozinhos. Triste porque o mundo é só esse. Não existe um mundo melhor onde poderiamos soltá-los sem preocupação.
Existe dor maior que a dor do coração dilacerado de uma mãe.
Não, com certeza, com toda certeza do mundo, não.
E essas mães que choram hoje pela perda de seus filhinhos?
Existe consolo para elas?
Não, não e não.
Me solidarizo hoje com as mães de Realengo.
É difícil conter o choro enquanto escrevo, mas esquecer isso, não escrever sobre isso é o mesmo que aceitar viver numa sociedade que anda doente há muito tempo e simplesmente as pessoas fecham os olhos por comodismo.
Não vou aceitar.

Que Deus olhe pras Mães de Realengo.

7 comentários:

Rosa muller disse...

Falta de amor nos corações, certamente esse matador não foi amado,vítima do sistema despreparado em que vivemos!!

Dona Sra. Urtigão disse...

Nada a acrescentar, exceto talvez lágrimas...

disse...

Impossível segurar as lágrimas hoje.
Assim fica muito dificil acreditar num mundo melhor, numa sociedade mais justa...

Juliana Manente disse...

Indignação é o que passa pelo meu coração.
Não consigo entender como certas coisas ocorrem, se repetem, e depois são esquecidas e tornam a acontecer novamente!
Oh mundo cruel!
Nossa jornada é longa, por isso propagar doçura e boas atitudes...
bjs

V. disse...

Oi, Renata.

Há quanto tempo, não é? E agora que voltei ao mundo dos blogs, me deparo com esse texto seu.
Só agora, e aos poucos, é que consigo ler ou pensar nesta tragédia sem sentir vontade de chorar.
Mas a revolta e a angústia permanecem.
"Que Deus olhe pras Mães de Realengo."

Beijo.

Lyttah disse...

faz um bom tempo q não apareço por aqui. e nossa um post como sempre muito bem elaborado. e realmente não tem oq acrescentar ou tirar no q vc escreveu. Perfeitas palavras.

William disse...

OLá Rê
Isso já está marcado para história do Brasil, infelizmente uma violência sem precedentes. A escola já retomou suas aulas, porém, se não me engano, 20 alunos pediram transferêcia, no mais, o trauma. Evidentemente que o "clima" na escola deve ser de muita tristeza mas é preciso tocar a vida em frente. Para os familiares que perderam suas crianças nessa fatídica tragédica, só nos resta desejar a todos eles que tenhma muita paz, força, para superar e jamais esquecer.
Um ótima páscoa à todos.