quarta-feira, 13 de abril de 2011

Sem Razão


Sei chegar em você

Corpo, olhar, coração

Sei chegar de maneira

Que me quebra a razão


Traiçoeira certeza

Sanidade já foi

E me fica a vontade

Misturada com a dor


Manipula, descuida

Permeia em detalhes

Onde só fica a saudade

Da vida que a muito acabou.


11 comentários:

Betty Gaeta disse...

Oi Rê,
O poema é seu? Está lindo!
Bjkas e uma noite maravilhosa para vc.

www.gosto-disto.com

disse...

Oi Betty
Meu sim. Um rabisco antigo que estava guardado...
Beijoss

Elcio Tuiribepi disse...

Eita amiga...que bom ver um rabisco antigo assim, para de escrever não...faz bem pra alma...
Parabéns...
Um abraço na alma
Beijo

ღ Sensitivity ღ disse...

Rê parabéns pelo seu poema. Por que quando estamos apaixonados a sanidade sai pela janela? Risos. Talvez para sentir tudo isso sem ficar questionando, né? Risos. Não liga para o meu comentário, hoje "tô" que "tô". Beijinhos.

Solange disse...

caramba Rê..
como eu gostei do que vc escreveu..
um jogo de palavras misturado com toda emoção do momento..

bjs.Sol

e a música então..
tá perfeita!

Campista selvagem disse...

Um pouco sofrido, mas quando realista...
deve ser vivio de corpo e alma!

Carol Morais disse...

E essa saudade, as vezes maldita, as vezes doce e necessária. É parte de nós, é parte de nós!

disse...

Carol,
Nunca senti saudade doce, deve ser porque sou dramática demais pra isso... rsrsrs
Beijos

Fernand's disse...

saudade sempre será companhia...

Um brasileiro disse...

Oi. Estive por aqui. Muito legal por aqui. Gostei. Parabéns. Apareça por lá. Abraços.

Gabiii disse...

Quanta beleza vc é capaz de escrever...
brigadeirinho....
saudade!