quinta-feira, 30 de junho de 2011

Pra Organizar.

Amo caixas. Sempre que vou ao Rio (pelo preço e variedade) trago uma para colocar em algum cantinho do meu quarto. Uso para guardar cachecóis, lenços, material escolar, documentos arquivados...
Não sou a pessoa mais organizada do mundo, mas com essas caixas organizadoras tem como deixar bagunça pela casa, escritório ou qualquer outro lugar.
Todas as fotos são de coleções da Boxmania (Boxgrafia Projetos Gráficos).
Eu costumo comprar as minhas na Kalunga, mas tem muitas lojas que fazem representação da marca e com grande variedade.
Além de caixas de diversos tamanhos e formas, tem também gaveteiros, frasqueiras, porta joias, albuns de fotografia... é uma infinidade de coisas para ficar com vontade de comprar tudinho!!!



















terça-feira, 28 de junho de 2011

Tãooooooo Fofo!


Nesse último fim de semana assisti uma animação de 2010 (porque eu ainda não tinha visto?), estréia do estúdio Illumination Entertainment (Universal), onde o personagem principal é um vilão.

Em Meu Malvado Favorito ser o maior vilão do mundo sempre foi o sonho de Gru (Steve Carrel). Ele já realizou algumas façanhas, mas nenhuma que alavancasse sua carreira no mundo do crime. Após descobrir que o mal feitor Vetor (Jason Segel) roubou as Pirâmides do Egito, ele se vê obrigado a agir e bola o um plano mirabolante: Adquirir uma arma encolhedora e roubar a lua, entrando assim para o hall da fama do mal. A tarefa seria ingrata senão fosse a inusitada ajuda da qual necessitaria: a de três pequenas órfãs. Este relacionamento, primeiramente baseado apenas em interesses malignos, revelaria então que no peito de Gru bate um coração.


O filme é adorável, com uma dosagem certa de humor, aventura e muito, mas muito 'cut cut' por parte das meninas orfãs. Assisti em meio a sorrisos e emocionada cheguei ao final querendo ver de novo e recomendar a todos.
Como ele já é antiguinho (um ano é considerado ultrapassado no cinema) muitos já devem ter visto, inclusive em 3D nos cinemas, e devem compartilhar da minha opinião. Não tem como não suspirar no momento em que Gru se rende ao amor e carinho das órfãs.
E Gru tem um exército divertido de Minions que não tem nada de malvados. São fofos, engraçados e atrapalhados.
Eu assisti a versão legendada e Steve Carrel deu vida a Gru, muitíssimo bem, diga-se de passagem. Mas estou com vontade de assistir uma cópia dublada. Quem faz Gru é Leandro Hassun e Vetor, Marcius Melhem.
Eu realmente estou encantada com Gru e cia.


No dia seguinte assisti Rio. Não deveria ter assistido um seguido do outro. Rio me pareceu a coisa mais sem graça do mundo. Com uma fotografia bonita e só. História fraquissima, músicas bobas (Sim, Sergio Mendes decepcionou) e dialogos bobos.
Pode ser que a empolgação de Meu Malvado Favorito tenha ofuscado o brilho de Rio, mas a verdade é que o filme é todo cativante, delicado, cheio de amor e o enfoque de relações humanas é de extrema sensibilidade. Aí Blu perde longe para Gru!


segunda-feira, 27 de junho de 2011

Não Faço Tipo


Não gosto de cinema europeu, não tenho paciência e Almodóvar é muito esquisito.

Acho ópera muito chata, é sem graça e nunca entendo nada!

Não gosto de dias ensolarados para passear, o calor me maltrata.

Não gosto de andar a toa para passar o tempo, a cama é bem mais confortável.

Também não gosto de longas caminhadas com a pessoa amada, a cama é bem mais confortável.

Não assisto TV Cultura, TV Sesc, TV Brasil, TV Futura e isso não diminui meu “intelecto-cultural” (isso existe?).

Minha paciência termina rápido para pessoas chatas, mesmo que elas sejam doces.

Livros de auto-ajuda ajudam a quem mesmo?

Papo cabeça filosófico só se eu estiver muito inspirada, senão darei respostas do tipo hã hã (positiva) e hã hã (negativa) ou hãããããã (bacana).

Já usei muito o sarcasmo para me defender, hoje falo olhando nos olhos sem titubear.

Nunca volto em lojas onde sou mal atendida, “to pagaaaano”.

Minto sim, se for por uma boa causa e não prejudicar ninguém.

Não tenho medo de ir para o inferno.

Acredito em Deus e respeito quem não acredita.

Às vezes a lua cheia me entristece. Me traz lembranças que quero esquecer.

Quando vou comprar nas Lojas Americanas faço o mais rápido possível, porque as músicas ambientes de lá são insuportáveis.

Não encaro filas.

Não tenho mais idade para tomar sorvete num ‘primeiro encontro’. Mas num segundo, não dispenso.

Odeio viajar em feriados, pegar engarrafamentos, passar longas horas na estrada, mesmo que seja com amigos queridos.

É de enjoar pessoas que acreditam em fofocas sem cabimento. Se eu for o foco da calúnia então... nunca tire conclusões antes de vir falar comigo, certo?

Odeio fofocas!

Não gosto de fingir que gosto, não faço tipo.

Não gosto de sorrir para quem é falso, porque tenho que agradar quem não merece?

Preconceitos são para fracos, fracos de razão e espírito.

Me irritam pessoas sem o mínimo de inteligência e bom senso.

Detesto visitas sem aviso, não dá pra surpresas no meio da faxina e das calças de moletom furadas.

Pareço mal humorada? Tem mais coisas que me fazem feliz do que as que me irritam, as que detesto, apenas não sei fazer cara de paisagem para o que me incomoda!!!

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Sem Bilhete


Ela tinha uma vida que faria inveja a muita gente. Beirava a perfeição. Um marido que a amava e a respeitava, filhos carinhosos com futuros brilhantes pela frente. Cursavam uma das melhores universidades da grande cidade em que moravam. Mesa sempre farta com família reunida em quase todos os almoços e jantares usuais em restaurantes bacanas. Viagens internacionais uma vez por ano e fins de semana alternados na praia e na serra. Carro trocado a cada dois anos. E ainda tinha o lado profissional que dominava com competência e era reconhecidamente talentosa pelos tribunais. Seguira os passos do pai, juiz de renome, cursara Direito e se dedicava como poucos na área.

A vida lhe dera muitos presentes. Cercada de amor e felicidade podia-se dizer que era quase um conto de fadas moderno. E tudo isso pode passar em apenas um minuto por sua mente no momento em que ela deu, ali do 23º andar, seu último passo ao nada. Ela ainda teve tempo de sorrir antes que fosse ouvido um baque surdo de seu corpo indo de encontro ao asfalto sujo.

terça-feira, 21 de junho de 2011

E para aquecer...

Café, Chocolate, Chá...
O inverno acabou de chegar!
Nada melhor que algo bem quentinho para dar ânimo ao longo do dia.
E para servir... Canecas!
Adoro canecas de vários tamanhos, formas, cores.
Charmosas, deixam a sua bebida preferida com um gostinho especial.


Com um toque musical


Para expressar seu humor logo pela manhã
Para presentear


Com jeitinho infantil


Cheias de detalhes que imprimem sua marca






Fofa em formato de tulipa

Coloridas e divertidas


Brincando com as palavras

Coleções especiais


Aquecendo e fazendo sorrir


Quem resiste???

terça-feira, 14 de junho de 2011

Não gosto e pronto!


Não gosto de aniversários. Nunca gostei. Não por achar que estou ficando mais velha. Fico mais velha a cada dia, não é? Não preciso de uma data específica pra isso. Mas também não sei explicar porque não gosto. Não gosto e pronto. Assim, sem motivos...
Nasci no "meião" do ano. Meio do mês que é metade do ano.
Manhã de outono em tons acastanhados.
Frio.
Mas não sou fria, longe disso. Um copo de conhaque resolve tudo.
Geminiana depressiva. Mas um copo de conhaque resolve tudo.
Criativa. E quando não o sou, um copo de conhaque resolve tudo.
Taí, esse ano cantarei parabéns num copo de conhaque!

Melhor parar de postar coisas pessoais misturadas com bebidas. Já entornei por aqui doses de gim, tequila, vinho, agora conhaque. Serei julgada de modo errado. Estou a exatamente 19 dias sem uma gotinha de álcool no meu sangue. A última cervejinha foi longeeee. Mas foi tão necessária!!!!!

Voltando (ou não)...
Lá vem mais um ano novo pra mim.
Estou colecionando experências e rugas. Cabelos brancos não, pinto todos!
Estou colecionando novidades. Chegar onde cheguei e ainda ter novidades não é pra qualquer um não. Nada de festas, nada de comemorações. Apenas mais e mais novidades é o que me desejo. Boas supresas pra razão e pra emoção.

sábado, 11 de junho de 2011

Qual o Santo?


Esse ano resolvi deixar Santo Antônio em paz. Não de lado... não arriscaria tanto, né?
Esse ano resolvi apelar para dois santos de uma vez só: Santa Rita de Cássia e São Judas Tadeu. Eu sei que estamos na época de Tuninho, Joãozinho e Pedroca, mas é que eles só fazem com que minha batata asse nas fogueiras juninas, nada mais. Agora estou sendo mais centrada, mais direta em meus pedidos e Dona Rita e Seu Tadeu são tidos como os santos das causas impossíveis, so... vois là!!!
Eiii... não tem ninguém aqui pensando em namorado não. Troco de canal nas propagandas do Boticário, C&A, Leader e todas as outras com casais apaixonados e aquela melação toda. Minha causa impossível agora é dinheiro. Confesso que é mais um ano sem namorado, mas tem uns rolos aqui e outros acolá, então nada de carência esse ano.
Achei que poderia fazer umas simpatias de din din. Será que isso só funciona na noite de ano novo? Bem, comigo nunca funcionou, por isso essa mudança estratégica de calendário. Meio que pra pegar os santos desprevinidos. Eu rezo/peço, eles ficam sem entender nada, se perdem no cronograma anual do céu, me acham mais perdida que eles, ficam com dó e atendem meu pedido!!!
Só tem um problema: passei tantos anos fazendo simpatias para namorados que agora não sei fazer outro tipo de "mandinga" e preciso de sugestões!!!
Alguém pode me ajudar?????
Bem, enquanto não arrumo uma promessa decente para fazer, vou curtindo o mês de junho com bastante quentão, canjica, paçoca e alegria. Convenço um dos rolos a casar na roça comigo com direito a lua de mel e tudo! Bora dançar quadrilha... Olha o túnel!!!!!

terça-feira, 7 de junho de 2011

A paz invadiu o meu coração


Não me lembro de ter passado um meio de ano tão tranquilo como o que estou passando agora. (Meio de ano significa aniversário, que significa inferno astral, que significa longo período de depressão). Problemas existem, claro. As vezes até parece que o mundo está desabando a minha volta e eu estou vivendo num universo paralelo. Consegui desligar. Consegui destravar a alavanca que emperrava meus sentimentos bons. Uma sensação de liberdade interior que não experimentava há muito tempo.
Não vou mentir, nem me enganar. Tem dias difíceis, de choro contido, de sapos engolidos, no trabalho, no pessoal, mas e daí? Os sapos devem ser digeridos com cautela para não engasgarmos e vamos dando segmento ao que nos faz feliz...
Os sapos escorregam goela abaixo e me faz levantar a cabeça imediatamente e instintivamente para sorrir e não me deixar abater. Rir da situação é sempre uma ótima dica. Compartilhar então??? Ahhh.... certeza deles serem digeridos totalmente sem precisar de um laxante providencial.
Depois de um afastamento físico e emocional da minha casa hoje estou experimentando a volta ao lar. A volta aos meus.... Amo! E não vou mais deixá-los. Por nada, nem ninguém. Me afastei, me castiguei, me anulei e agora sei o que não quero mais para minha vida.
Meu coração está cicatrizando, melhor ainda não mexer com ele, mas já dá para dizer que ele vai se recupear por completo. Saiu da UTI e está no quarto. Alta ainda sem previsão, porém a junta médica já foi dispensada.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Mas hein!


Não podia deixar virar um mês inteirinho sem escrever, né? Ufa, foi por pouco.
É que tempo agora virou coisa supérflua e a criatividade anda esquecida em alguma gaveta funda e mofada. Escrever como???
Mas vamos lá.

Junho...
...
...
Meio de ano...
...
...
Alguém me conhece de verdade?
Estou no meio de meu inferno astral!!!
Junho é niver!
Mas to passando bem. Sem tempo nem de respirar quem lembra que existe inferno, quanto mais o tal do inferno astral?

Que texto é esse????
????
????
????
(Enchendo linguiça)

Tá bom, povo. Volto aqui assim que arrumar minhas gavetas e encontrar minha criatividade.
Até!!!