quarta-feira, 20 de julho de 2011

Hoje, para meus amigos...


Amigo, toma para ti o que quiseres,
passeia o teu olhar pelos meus recantos,
e se assim o desejas, dou-te a alma inteira,
com suas brancas avenidas e canções.

Amigo - faz com que na tarde se desvaneça
este inútil e velho desejo de vencer.
Bebe do meu cântaro se tens sede.

Amigo - faz com que na tarde se desvaneça
este desejo de que todas as roseiras
me pertençam.

Amigo,
se tens fome come do meu pão.

Tudo, amigo, o fiz para ti. Tudo isto
que sem olhares verás na minha casa vazia:
tudo isto que sobe pelos muros direitos
- como o meu coração - sempre buscando altura.

Sorris-te - amigo. Que importa! Ninguém sabe
entregar nas mãos o que se esconde dentro,
mas eu dou-te a alma, ânfora de suaves néctares,
e toda eu ta dou... Menos aquela lembrança...

... Que na minha verdade vazia aquele amor perdido
é uma rosa branca que se abre em silêncio...

Pablo Neruda in "Crepusculário"

sábado, 16 de julho de 2011

Apagando aos poucos...


Hoje eu acordei com muita saudade.
Não devia, mas chorei.
Passei o dia driblando os pensamentos, tentando fazer com que tudo se apagasse, fingindo que nada aconteceu.
Não deu.
Me afundei.
Vai passar. Tem passado nos últimos meses. Vai passar...
Nem lembro mais o telefone. Bom começo? Acredito que sim.
Só falta esquecer o endereço, sobrenome, o rosto...
Mas hoje vejo que é mais fácil do que eu imaginava.
Só fica difícil em dias de saudades, mas vai passar...

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Companhia Teatro Livro Aberto


Desde o final de 2010 estou trabalhando na Companhia Teatro Livro Aberto. Aceitei um convite para produzi-los e agora aceitei um segundo convite: atuar na nova produção do grupo (mas isso é uma história para postar um pouco mais tarde, aguardem!).
Como, mesmo enroladíssima em ensaios, contatos e contratos não consigo me desligar do mundo virtual, resolvi criar um blog (AQUI PARA CONHECER!!!) para a cia. Então hoje vim aqui para fazer propaganda. Convidá-los a dar um pulinho lá e conhecer esse trabalho tão encantador que me apaixonei logo de cara. Por enquanto só tem uma breve apresentação, mas virão muitas postagens, afinal são mais de 20 anos de estrada do grupo e muita história pra contar!
Vou postando aos poucos a ficha técnica, os releases dos vários espetáculos em cartaz, as fotos de palco, de estrada, de alegria que a cia. proporciona a seu público... acompanhem. E quem sabe não aparecemos aí pela cidade de cada um de vocês e possamos nos conhecer ao vivo, a cores e cheios de energia?

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Porque amamos cachorros?


























Além de melhores amigos, são fofos, divertidos, espertos, brincalhões, amáveis...

domingo, 3 de julho de 2011

Dia longo...


Ai que delícia passar o dia esperando ele ligar para aquele tão esperado encontro.
A moça, que não sentia isso há muito tempo, achou que a ansiedade poderia estragar tudo e tratou de se acalmar. Passou o dia encontrando coisas para fazer, mas com o celular em punho para não perder de maneira nenhuma o telefonema do rapaz que a encantou durante alguns dias de conversas longas pela internet.
Se esbarraram virtualmente sem querer. Não pareciam ter muito em comum, mesmo assim ensaiaram uma primeira conversa e deu certo. Algumas afinidades iam surgindo e cada dia as convesas ficavam mais longas.
Ela acabara de completar 29 anos, mas se sentia novamente com 18, com aquele frisson que aperta o peito e fazem as borboletas do estômago voarem inquietantes. Ele, mais novo, talvez tenha se encantado nas experientes histórias que ela contava entusiasmada diante do interesse dele, dos comentários que fazia e das perguntas curiosas.
Trocaram telefones, conversaram algumas vezes assim, mais próximos, ouvindo as vozes e os sorrisos mais soltos diante de alguma gentileza ou elogio. E assim um encontro foi marcado para o fim de semana. Um cineminha, um jantar depois, quem sabe...
E o fim de semana chegou. Era domingo. E arruma armários e coloca a leitura em dia e responde e-mails e finaliza projetos e o dia não passa!!!
Mãos suadas, os pensamentos voam e nada de se concentrar em qualquer coisa. Só esperando o telefone tocar.
E toca.
É ele...
Encontro confirmado. Corre para o banho, escolhe uma roupa bacana e sai.
O encontro?
Usem a imaginação. Porque ela usou e deu certo. Tudo aconteceu como ela havia imaginado por todo aquele dia.