sábado, 31 de dezembro de 2011

Voltando...

Decolando... é tudo que se vê... maravilhoso!

(Entre Belém e São Luis...)

Um texto digitado nos ares e em novo 'brinquedinho' que Papai Noel trouxe esse ano pra mim. No fim das contas deu certo ser uma boa menina durante o ano. Me recolhi quando necessário, respeitei a decisão dos outros e olha aí, meu ano terminando de forma inusitada e positiva...

Não houve grandes acontecimentos ao longo do ano. Muito trabalho, pouco dinheiro, uma carga emocional de tirar qualquer um do sério, problemas, problemas, problemas e eis que chegam férias surpreendentes.

Valeu o ano. Valeu qualquer stress.

Ontem arrumando as malas para voltar a realidade, deixei uma mensagem:

“Já estou com saudades. Triste por ir embora. Coração apertado com a sensação de perde-lo de vista novamente. Não deixe acontecer, ok¿”

Beijos, carinhos e afagos de despedida e cá estou eu voltando para os meus.

Quem sabe quando será a próxima... que seja breve, que seja!

Aproveito para desejar um 2012 sem apocalipse. Um ano de bastante trabalho, de novas conquistas, de novos amores (ou antigos, sei lá), sem crises econômicas ou emocionais!!!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Para o interior....


É pra sempre, não é?
Tive dúvidas esse ano, mas hoje, aqui, no finalzinho, me encontro a 2.500km de casa vivendo uma aventura, uma pequena loucura de amor.
Em menos de uma semana comprei passagens, arrumei malas e me pus a caminho da felicidade. Num voo sofrido para o interior do interior, encarei 7 horas de viagem e aqui estou... Feliz.
Quando falo voo para o interior do interior é mesmo em duplo sentido. Estou no interior do interior do país e estou no interior do MEU interior. Foram horas de expectativa do que iria encontrar pela frente nessa cidadezinha onde hoje ele trabalha e do que iria encontrar dentro de mim nesse reencontro de paixão e acima de tudo de um amor incondicional que vivencio a quase oito anos!
Quando aterrissei naquele lindo tapete verde me senti realizada, senti que "pronto, nada mais tem importância nesse mundo, vou viver, viver e viver essa louca vida de emoções que não precisam ser explicadas".
Me encontro agora sem palavras.
Ou talvez esteja esperando ainda mais para poder registrar por aqui toda a felicidade que transborda do meu coração. Mas pode ter ainda mais? A coisa está tão latente em minha vida agora que nem me preocupo o que vem por aí. Vivencio o agora. O êxtase de estar junto com alguém que entrou na minha vida e jamais sairá.
...
Todas as manhãs...
Eles acodam e ela fala:
- Bom dia. Já te falei o quanto estou feliz de estar aqui?
E ele responde sorrindo:
- Já, mas pode repetir quantas vezes quiser!"
...

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Vai... pode ir...

GUSTAV KLIMT, pintura de 1907

"Quero a vida sempre assim com você perto de mim
Até o apagar da velha chama

E eu que era triste
Descrente deste mundo
Ao encontrar você eu conheci
O que é felicidade meu amor"


Ela mal conseguia respirar.
Estava, mais uma vez, passando por uma crise de ansiedade. Mas era diferente. Era uma felicidade inquietante, o coração aos pulos tentava digerir a notícia que esperara por algum tempo e finalmente acontecera.
Um e-mail no meio da tarde trouxe a alegria. Ela tinha um imenso sorriso e desconfiava que tão cedo ele nao deixaria seu rosto.
Depois do e-mail um telefonema para confirmar. E a única resposta que pode dar era: "Feliz, estou muito feliz. Muito Feliz. Muito feliz." Assim mesmo, repetidas vezes e em meios a suspiros.
E agora?
O que fazer com toda essa felicidade??
Tanto tempo, tanto tempo sem algo parecido. Fica aquela ruguinha no meio da testa imaginando o que podia vir depois de toda essa felicidade.
Não importa.
Ela sorri mais uma vez, desfaz a tal ruguinha e parte de braços abertos para descobrir o verdadeiro sentido da vida!!

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Dezembro, mês das contas.

Agora estamos nesse ritmo: piscou, o ano passou!
Não dá nem tempo de olhar pra trás.
Lá vamos nós de novo enfrentar o mês das compras natalinas: presentes da família, presentes do amigo-oculto, ingredientes da ceia, enfeites para a noite da festa e ainda tem o reveillon. Ehhh 'gastança'!
Sem contar que não dá nem para pensar em esquecer que tem que sobrar dinheiro para as compras de janeiro: material escolar, uniformes, matrículas...
Dezembro é mesmo um mês de contas. Cada centavo conta. Pode fazer falta na caixinha do carteiro, do lixeiro, do gás, do porteiro, do motorista...
Eu até evito ficar circulando pela internet naquelas megastores onde tudo é tentador quando o 13o saiu! Mas como não sou muito social para andar nas ruas lotadas nessa época, compro mesmo pela net e aí não tem jeito: o presente do filho está coladinho naquela câmera digital que paquera faz tempo; o presente da filha está na mesma seção do netbook que enche os olhos desde o natal passado; o presente da afilhada... Assim não dá, vou ter que me mimar um pouquinho, né? Se eu tirar uns troquinhos de cada caixinha e trocar o peru pelo frango na ceia, acho que vai dar!!!!