quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Um Dia de Chuva. Ou Fúria.


Aquela coisa romântica da chuva batendo na janela numa manhã fresca de verão em meio a edredons brancos, travesseiros de plumas, acordando de mansinho, só funciona em filmes, novelas e contos de fadas. Por aqui o despertador berra, quase se morre de susto e quando se vai a janela para ver como está o dia, um grito avassalador sai da garganta:

- Puta que Pariu, ta chovendo de novo!!!!

Mas nem dá tempo de se aborrecer tanto. Corre para resolver 798 coisas pela manhã com a certeza de que não dará tempo.

Com o pé fora do conforto de casa se descobre que a chuva é ainda mais sacana. É aquela coisa nem fina, nem forte, que vem com um vento de quebrar guarda-chuvas e molhar até a alma. Mas não tem jeito, tem que encarar. Andar até o ponto do ônibus já é uma aventura: é rezar para nenhum carro passar por aquela poça e te dar banho de água barrenta. Nessas horas se descobre que temos um lado malabarista, equilibrista, sabe lá. Segura a bolsa, a pasta, o guarda-chuva, o dinheiro da passagem, tudo isso no meio da ventania e o celular ainda resolve tocar. Aí é sacanagem. E não dá pra deixar de atender. Se pensa que dá para ver depois quem ligou e retornar a ligação, já era. Sem créditos!

E cadê aquela desgraça de ônibus que não vem nunca???

Dentro do ônibus é outra aventura: é passar na roleta com mil coisas na mão, tomar cuidado para não molhar ninguém com o guarda-chuva ensopado e conseguir respirar com todas as janelas do veículo fechado.

Quando acha que estará em segurança no centro da cidade embaixo de alguma marquise, se engana redondamente. O povo insiste em andar vagarosamente com o guarda-chuva aberto mesmo sob a proteção dos toldos coloridos das lojas.

Quantas vezes já mencionei “guarda-chuva” aqui nesse texto??? Odeio guarda-chuvas. Esses objetos de formas inconvenientes foram feitos para irritar profundamente qualquer cidadão de bem. E para travar aquelas portas giratórias dos bancos. Os mais espertos o esquecem em algum banco de táxi ou loja de conveniência, mas têm outros que insistem em usá-los para esbarrar nas cabeças dos transeuntes e quase lhes furar os olhos.

Conclusão, no primeiro compromisso do dia já se chega completamente molhado, despenteado, irritado e com vontade de matar alguém. E o dia só está começando. Já se imaginou às 5 da tarde? É quase suicídio. Ou homicídio. Sabe lá quem se vai encontrar pelo caminho, não é? Definitivamente dias de chuva não foram feitos para sair de casa. Não foram feitos para trabalhar, passear, ir ao banco, restaurante, viajar. Dias de chuva são feitos para ficar na cama, em meio a edredons brancos, travesseiros de plumas, olhando-a bater na janela ................................................................................

.......................................... Ahhh, lembrei! Isso é só para filmes, novelas e contos de fada!!!!

15 comentários:

Néia Lambert disse...

Oi Rê, estou rindo aqui, adorei seu texto, é bem isso mesmo, dia chuvoso só embaixo do edredom.
Beijos

orvalho do ceu disse...

OI, Rê
Passo,com calma,pra desejar-lhe um Novo Ano cheio de paz e prosperidade em todos os sentidos...
Cheguei hoje de viagem...
As minhas férias foram deliciosas... Junto à família tudo é bom demais!!!
Bjs com gostinho de início de ano

William disse...

kkkkkkk
Re, simplesmente sensacional.
O romantismo da chuva caiu por terra....eheheheh
O pqp pode ser usado muitas vezes durante tudo que acontece!!!
Boa sexta feira pra ti.

Betty Gaeta disse...

Oi Rê,
Adorei! Ri muito! É isto mesmo, só faltou dizer qu se vc tem cabelos encaracolados, eles encarapinham, se eles são lisos, arrepiam.
Só chove no mundo real, nunca nos filmes ou nas deusas das revistas ou das telas.
Bjkas e um ótimo final de semana para vc.

http://gostodistonew.blogspot.com/

ღ Sensivity ღ disse...

Eu amei esse post, hahahaha. Estou rindo muito aqui. Pior que é a pura verdade. Hoje estou rindo disso, pq o sol está lindo lá fora, mas qdo eu passo por isso também fico mega irritada. Para piorar isso, imagina isso tudo no inverno gaúcho? Eu me lembrei de um dia que eu tinha uma prova da faculdade, ir ao médico e passar no fórum, mais algumas coisas que eu não lembro. Um frio horrível e aquela chuva que não parava um instante. Realmente dia de chuva só para contos de fada. Beijinhos.

Flávia - Compartilhando Idéias... disse...

kkkkk
Isso mesmo! Vc descreveu direitinho! kkk
Fora que os guarda-chuvas são perdidos por minuto né?
Eu nunca poderia adquirir um modelito caro porque só lembro dele quando chego em casa e já era!! Assim acontece com isqueiros, canetas BIC, etc....kkk

Bjs

* _ Pri CastRo _ * disse...

Ameiiiiiii Rê!

Passei pela cena do 'vento de quebras guarda-chuva' em plena segunda...
O saldo?
Meia molhada dentro da bota de couro que não segurou a bronca o dia todo!

Chuva só durante a madrugada, enquanto a gente dorme...

Grd beijo!

Daíse disse...

Adorei o seu texto!
Mas devo lhe dixer: EU AMO CHUVA!!!
Hahahahaha
Bjos!

zé azevedo disse...

muito obrigado, por toda essa simpatia *
gosto muito do seu blog, e deixe lá a parceria então (:

disse...

Genteeeeee
Aqui em Petrópolis estava chovendo desde o dia 21 de dezembro. Foi só eu escrever esse texto que o Sol saiu!!!!!
Hehehehehehehe

meus instantes e momentos disse...

é bom ler voce...
Com chuva, melhor ainda, rs.
Maurizio

Solange disse...

Texto magnífico!!
só ficou faltando vc dizer que se o ônibus estiver lotado, somos obrigadas a fazer cara de paisagem quando algum homem "sem querer querendo" encosta na gente e ainda fala "com licença"...

bjs.Sol

Mirelle e Ana Bell disse...

Rê, flor
estou meio atrasada mas espero que tenha tido boas festas
to aqui pra te desejar td de bom nesse novo ano
que vc tenha muuuuuita saúde e alcance seus objetivos e tenha sucesso!!
vc é uma amiga q nao me abandona, obrigada
sabe o q eu reparei agora? vc é de petropolis e meu pai tb mora ai, mais especificamente em itaipava
super beijo

Daniele Barizon disse...

Dias de chuva são dias de ficar em casa, assistindo um filminho em boa companhia, zapeando pela net... chuva realmente não combina com trabalho, mas confesso que prefiro a chuva ao sol do verão do RJ, para ficar presa num escritório...

Bjs!!

Marcos de Sousa disse...

Ri demais com o seu texto. Por mais que concorde com você em como é difícil a vida em dias de chuva, ainda prefiro a chuva ao Sol e calor.

Beijos