quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Uma dose de paciência, por favor!


Muito, muito tempo afastada.
Não vou enumerar de novo os motivos pelos quais abandono o blog porque não cola mais. Trabalho, falta de inspiração, preguiça.... sempre o mesmo blá blá blá.
Mas reparem que linda poesia no último post. Foi quando conheci alguém, primeiro encontro, encantamento, sabecomé? Escrevi no primeiro e logo no segundo me arrependi. Mas como sou insistente arrastei por 2 longos meses. Exato os dois meses longe daqui, então nada melhor que falar o que mudou.... Ahhh... nada mudou, apenas li os sinais de forma errada.
O rapaz educado era na verdade chato.
O rapaz gentil era na verdade meloso.
O rapaz atencioso era na verdade inseguro.
O rapaz pronto para se entregar por ter vivido tão poucas experiências era na verdade bobo.
Eu até tentava entender: criação estranha, pais superprotetores, casa e trabalho praticamente no mesmo bairro, sem sair para nada, os cinemas eram com a tia solteira... Um dia, quando fiz o comentário com um amigo de que o rapaz era meio caipirão ele falou: "melhor assim, você molda do seu jeitinho"... ai, deu não, ia dar muitoooo, muitoooo trabalho!
E por fim, o que ele reclamava, minha falta de ânimo para com o relacionamento, era mesmo falta de paciência.  Não há relacionamento que resista a tantas cobranças em apenas dois meses. Cobranças até com a falta de 'bom dia' no Facebook. Trabalhos no fim de semana era o fim, a insegurança que gerava era piada (ei, eu trabalho com teatro... todo dia é dia, mas os finais de semana são bem mais cheios). Viagens então... eu ficava até melindrada em falar que tudo estava ótimo!
Estava dificil até de olhar nos olhos. Coisa que é bem facil pra mim quando gosto: olhar longamente para a pessoa, analisar cada centímetro de olhos, boca, nariz, testa...
Enfim, coração fechado novamente. Como me cansam essas coisas...
Caramba vim aqui só para desabafar??
Não, claro que não, porque se eu fosse desabafar esse texto seria bem mais longo e teria detalhes que ora passariam pelo trágico, ora pelo cômico. Ou seria só cômico? 
Agora que passou, já posso rir?
Acho que não, ainda estou puta comigo por ter caído na cilada dos sinais....

3 comentários:

Solange disse...

realmente não é fácil Re..
quando a gente perde o amor da nossa vida, geralmente perde algumas referências também...
e nossas escolhas começam a ser bem mais criteriosas..

cilada de sinais..
adorei!

bjs.Sol

disse...

Acho que é bem isso, Sol.
Acho que estou mais criteriosa depois de amar demais...
Azar o meu? Nãooooo.... é a prática do "antes só do que mal acompanhada"!!

Solange disse...

mais um ano se inicia...
espero que você o receba de braços abertos!!

bjs.Sol