sábado, 17 de maio de 2008

Filme A Máquina


A jovem Karina (Mariana Ximenes) resolve ir embora de Nordestina, uma cidadezinha perdida do sertão, para conhecer o mundo e tentar realizar o sonho de se tornar uma atriz. Antônio (Gustavo Falcão), que a ama, decide dar-lhe o mundo. Para isso, ele sai da cidade e anuncia, em um programa de televisão, que irá fazer uma viagem ao futuro, partindo da praça de Nordestina. Se Antônio fracassar, ele garante que uma máquina da morte o irá destruir, ao vivo, na frente de todos.
Diretor: João Falcão
Elenco: Gustavo Falcão, Mariana Ximenes, Paulo Autran, Lázaro Ramos, Wagner Moura, Edmilson Barros, Aramis Trindade.
Produção: Diler Trindade
Roteiro: João Falcão, baseado em livro de Adriana Falcão
Fotografia: Walter Carvalho
Trilha Sonora : DJ Dolores, Robertinho de Recife, Chico Buarque



''É incrível como um país como o Brasil, dono de uma riquíssima tradição na arte de se contar histórias e "causos", explore tão pouco esta habilidade na área cinematográfica. Tentando suprir pelo menos um pouco esta falha, temos o ótimo A Máquina, uma fábula romântica rica em forma, conteúdo e recheada da deliciosa poética nordestina.''
Essas são palavras do crítico de cinema Celson Sabadin e eu concordo com todas as letras...
O filme é delicioso, de uma riqueza incrivel. Tudo é sonho, fantasia, poesia e, claro, realismo. "Antonio é um garoto que passa os primeiros anos de sua vida chorando sem parar. Após uma benzedeira de sua mãe, o menino finalmente pára de chorar e suas lágrimas são magicamente transformadas em chuva, para a felicidade do lugarejo, sempre castigado pela seca."
Passar a noite de sexta feira, que já parecia perdida, assistindo um filme desses, acreditem, num canal de TV por assinatura, foi no mínimo revigorante.
Indico e 'pressiono' para os amigos, conhecidos e também aos inimigos...

2 comentários:

Francis disse...

Estarei postando aqui apenas para deixar evidente que lí o seu texto, estarei postando novamente após assistir a sua dica tão bem recomendada.
Liguei para o proprietário da locadora de filmes e lá não tem este título ainda, pena, isso só fortalece o que tenho visto com muita freqüencia utimamente que é o desinteresse por obras cinematográficas. Não me refiro somente à filmes brasileiros mas em geral, tudo devido a pirataria que se alastra, isso obviamente diminuirá a qualidade do cinema com o passar dos anos, grandes obras e salas vazias pois por apenas cinco reais você pode tê-lo em casa para ver e rever e não importa mais que o autor não tenha tido o merrecido lucro com isso.
Lamento mias terei que fazer o mesmo que o "resto", irei baixá-lo na internet, mas não se preocupe, todo filme que me agrada entra pra minha coleção como título original.

disse...

Pois é Francis, eu até entendo a escassez de alguns temas na locadora. Alias, sabemos que locadora é algo em extinçõa, tendo em vista a facilidade de se baixar os filmes pela net ou comprar das mãos de camelos cópias piratas.
E era tão legal entrar numa locadora sábado pela manhã e escolher o filme que se ia assistir embaixo do edredon ao lado de uma pessoa querida e um balde de pipocas, não era? Eu, pelo menos, adorava. As vezes se alugava não um, mas tres, quatro filmes para garantir todo o fim de semana!!!!
Hoje também baixo na net, não posso negar. Compro alguns, alugo outros, mas a grande maioria do que assisto hj é o que eu mesmo baixo.
Fico aqui na torcida para que vc consiga logo uma copia da fita e assista e se delicie como eu me deliciei!!!