terça-feira, 17 de março de 2009

Criança não trabalha, criança dá Trabalho...

Eu resolvi escrever aqui sobre trabalho infantil depois de zapear pelos canais abertos em casa, e na TV Cultura me deparei com um clipe da música “Criança não Trabalha” de Paulo Tatit (Palavra Cantada) e Arnaldo Antunes.

Lápis, caderno, chiclete, peão
Sol, bicicleta, skate, calção
Esconderijo, avião, correria,
Tambor, gritaria, jardim, confusão
Bola, pelúcia, merenda, crayon
Banho de rio, banho de mar,
Pula sela, bombom
Tanque de areia, gnomo, sereia,
Pirata, baleia, manteiga no pão
Giz, merthiolate, band aid, sabão
Tênis, cadarço, almofada, colchão
Quebra-cabeça, boneca, peteca,
Botão. pega-pega, papel papelão
Criança não trabalha
Criança dá trabalho
Criança não trabalha
1, 2 feijão com arroz
3, 4 feijão no prato
5, 6 tudo outra vez



É simples, não é??
Mas mesmo toda essa simplicidade muitas vezes não chega até as mãos de nossas crianças. Crianças que não sabem o que é uma peteca, um peão. Que nunca experimentaram um chiclete, um bombom. Que nunca deitaram numa almofada e escutaram histórias de piratas e bicho-papão...
Estima-se que no Brasil hoje ainda exista uma média de 5 milhões de jovem com idades entre 5 e 17 anos trabalhando (dados do IBGE de 2008). Em nosso país a lei prevê idade mínima para ingresso no trabalho de 16 anos, mas como sabemos muita coisa não funciona por aqui. O governou tomou como meta nacional o fim do trabalho infantil implantando programas para geração de rendas para famílias e jornada escolar ampliada para que as crianças não precisassem ir às ruas para ajudar no sustento da família. O índice diminuiu, mas está longe de ter um final feliz.
No Brasil o trabalho infantil não é tratado como crime. Apenas quando há trabalho escravo, maus tratos ou exploração de prostituição. Mas isso vale em qualquer idade, né?
Lugar de criança é na escola. Parece uma frase com lugar comum, mas é importante insistir nessa idéia. A ausência da escola prejudica o presente e o futuro, pois quando crescerem terão poucas oportunidades de conseguir um bom emprego, sem falar da infância onde etapas são puladas acarretando assim adultos amargurados, rancorosos e sem perspectiva de vida.

20 comentários:

marcus disse...

eu trabalho des dos 12 anos, não era nenhum trabalho explorativo, pois trabalhava com meus pais em uma lanchonete, e era pouco tempo, mas não vejo nada contra crianças trabalhar, logico q nad de serviços explorativo ou q atrapalhe o estudo, com 12 anos a "criança" mata pai de falmilia, a "criança" rouba sua casa, a "criança" fuma maconha, e por q naum pode empacotar compras em supermercado?

Pedro Amaral disse...

Parabéns pelo ótimo blog

Visite-me se puder
http://theocho888.blogspot.com

diversidades disse...

Seria bom se todos se concietizassem disso, mais com a realidade do noso pais as crianaças estao cada vez trabalhando mais cedo

Nat Valarini disse...

Boa tarde flor!

Questão complicada, hein?

Com toda certeza, o trabalho infantil é uma questão que deve ser olhada com cuidado.

Tenho uma tia que sempre diz:

"- Quando eu era criança, trabalhava em roça para ajudar minha mãe e sobrevivi. Hoje, tenho uma família, sou formada. Vejo por aí crianças mimadas que nunca trabalharm, mas cometem crimes, etc."

Eu, por um lado, dou razão a minha tia. Mas a questão dela foi diferente, ao menos eu acho. Ela não parou de estudar (mesmo trabalhando em roça).

O grande problema do trabalho na infância é que a exploração não respeita um limite de idade, não dá boas condições de trabalho e repouso e ainda coloca a vida destas crianças em risco ao exercer atividades perigosas como corte de cana, produção de carvão e por aí vai.

O caminho para um futuro digno é todo através da educação e um gurí exausto do trabalho pesado não vai conseguir ir a uma escola e aprender tudo o que é mostrado em sala de aula.


PS.: mais uma vez, você mandou muito bem!

Kiso

http://garotapendurada.blogspot.com/

Gustavo Chagas disse...

Seu blog é ótimo, visitei ele ontem e peço até desculpas por não ter comentado ontem...muito bom seu texto sobre trabalho infantil e a música foi bem colocada...
Parabéns...


Gustavo Chagas

Renan Barreto disse...

Numa dessas semanas de comunicação da faculdade a Bette Luchesse disse uma coisa que fez sentido "Nós, jornalistas, nunca podemos perder a capacidade de nos indignarmos". É verdade, e estendo isso a todos os outros profissionais. Não podemos dexiar esse tipo de coisa continuar acontecendo. É um absurdo.

Adorei a música, parece a minha infância. rs E compre o Resident Evil 5 pro seu filho sim. Depois pede a ele pra me emprestar. rsrsrs

Valeu, Rê!!!!

Kelly Jessie disse...

Tenho um texto muito interessante que acho que vc gostaria de ler. É um documento da Unicef sobre a situação da infância brasileira.

Se quiser te mando por e-mail... estamos analisando ele na disciplina de teoria e prática em educação infantil.

grupo gauche disse...

Parabens por abordar o tema, espero que as pessoas que podem que detem o poder de mudar realmente as coisas um dia se sensibilizem, se toquem e façam com que as crianças realmente estejam na escola que é o lugar delas e nao trabalhando ou na rua!

Sparrow disse...

Belo texto... faz a gente pensar profundamente pra onde está indo nosso futuro...

Parabéns!

Qdo der, dá uma passadinha lá no meu:
http://dmpclan.blogspot.com

Ricardo disse...

É incrível como o nosso país pena pra resolver esse problema. E a questão vai muito mais além do fato de discriminar bolsas de auxílio, de proibir o trabalho infantil. Tenho certeza de que se perguntarmos pra muitas das crianças que trabalham exploratóriamente se elas preferem trabalhar ou ir à escola que fica a HORAS de suas residências e onde são mal-recebidas em um ambiente desacolhedor, muitas dirão que preferem trabalhar. Infelizmente essas pessoas já assimilaram essa cultura, e ao meu ver a ÚNICA solução é investir pesado em educação. Parabéns pelo blog!

RICARDO
------------------------------
Volta ao Mundo Google Earth

------------------------------

Wagner Lopes disse...

Estou sorteando 5 trabalhos meus.
Depois da uma olhada lá no meu blog

Lucas Alsil disse...

é, uma questão complicada
algumas pessoas acham que jovens de 14, 15 anos ainda são crianças e por isso não devem trabalhar.

já eu acho o contrario, se o jovem tem vontade de trabalhar que trabalhe, porém sem atrapalhar os seus estudos;

é o que eu acho.

Paulo Tamburro disse...

RÊ, muito bom seu olhar de educadora e consciência deste problema que é exatamente, a consequência de um outro que lhe é muito maior.

Todos os os grandes educadores brasileiros propuseram que a escola fosse em tempo integral.

Nao quero, politizar o assunto,
mais a última iniciativa, foram os CIEP's, que ocupariam os jovens na sua formação educacional.

Entram outros governos e sepultam as ideias dos anteriores.

Este enfoque educacional,
aliado a um programa de bolsas como vem fazendo este governo, seria o ideal.

Como a nação lucraria com isto, então ele jamais concretizarão esta metodologia.

Quando eu corrijo as provas dos meus alunos universitários é que constato que, positivamente muitas décadas passarão para sermos um país de primeiro mundo.

Um horror.Infelizmente!

mat disse...

Que DEUS ajude essas crianças e adultos amargurados.
Adorei seu blog!!!!

O Melhor do Metal disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
JaCoNa disse...

Lugar d ecrinaça é na escola, lugar de criança eh brincandu... claro que ajudar os pais c/ algmas tarefas de ksa e até nu negocio d afamilia pode rolar, ateh p/ formação do carater eh bom...mas nd explorativo!

legal o blog i o post!
parabéns, moça ;)

xeru

http://jaconapacheco.blogspot.com/

Olhar 38 disse...

Verdade mesmo, e isso acaba refletindo em toda a nação. A criança que hoje não estuda, não brinca acaba não tendo oportunidades de emprego (não falta emprego, faltam empregados qualificados!) e com a personalidade ja distorcida pelo passado sofrido, acabam muitas vezes partindo para o lado criminal...

visite se puder
www.olhar38.blogspot.com

Alvinegro disse...

Olá que blog muito bom.
Realmente tem coisas legais aqui fiquei lendo acho que alguns 30 minuto hehehe.

Voltarei sempre.

se puder de uma olhadinha no meu,

http://aquigeral.blogspot.com/

João disse...

gostei da musiquinha. É divertida. Depois vamos ver quem canta mais rapido?

o trabalho infantil para mim pelo menos é crime

Anônimo disse...

seeks glos simbrown ifis ayulabs reducing seize this impacting unknown empirical
semelokertes marchimundui